Bem vindo ao mundo do Bitcoin

Bem vindo ao mundo do Bitcoin
5 (100%) 1 vote

O que todo investidor de sucesso tem em comum? Informação! Os bem sucedidos estão sempre em busca de aprimoramento teórico e dados para compreender e traçar novas e melhores estratégias, seja estudando teorias consagradas como também se atualizando. Dentro deste contexto, não podemos deixar de falar de bitcoins. Certamente você já ouviu esse nome por aí, mas sabe realmente o que significa e como funcionam os mercados, conceitos e investimentos sobre esta moeda? Por isso, vamos apresentar o mundo do bitcoin e mergulhar sobre o futuro, ou quem sabe até presente, acerca deste novo mercado e suas possíveis novas modalidades de investimentos. A esta altura você já deve estar com muitas perguntas em mente. O que é bitcoin? Como investir em bitcoins? Qual o valor do bitcoin? Como funciona o mercado bitcoin…. Fique tranquilo. Aperte o cinto e venha conosco!

Afinal, o que é Bitcoin?

As criptomoedas são um dos ativos financeiros que mais têm se valorizado ultimamente. Isso fica claro quando nos deparamos com aquelas notícias que informam sobre alguém ter comprado algumas unidade de bitcoins há alguns anos e hoje acumulam alguns milhares e até milhões de dólares. Acima de tudo, bitcoin é uma moeda, assim como o real, dólar ou peso. Porém, ela não existe de maneira física e não há cédulas ou moedas, sendo totalmente virtual. Isso mesmo! Este é o primeiro e mais importante conceito. Criada em 2008 por um grupo de programadores, é uma moeda totalmente descentralizada, não tendo conexão com um “banco central”, por exemplo. É realmente algo inédito na história financeira mundial. O Tesouro dos Estados Unidos a classifica como a primeira moeda digital descentralizada do mundo. A economia movida por bitcoin ainda é reduzida se for comparada ao sistema financeiro tradicional. Apesar disso, muitos tipos de serviços e bens reais como músicas, artigos eletrônicos, imóveis e até veículos já são negociadas com aceitação de bitcoins. Instituições, como o Greenpeace, e outros órgãos também já aceitam doações e contribuições por meio de bitcoins.

bitcoin

Em 2009, qualquer pessoa com o software poderia minerar bitcoins, mas com o aumento pelo interesse, a tarefa de fabricar bitcoins ficou restrita aqueles que dispunham de supercomputadores. Além da “mineração”, é possível reunir bitcoins em casas de câmbio específicas ou aceitando bitcoins como forma de pagamento ao vender algo. O montante virtual é salvo em uma espécie de carteira. Essas informações nos levam às seguintes perguntas: Como minerar bitcoins? Como adquirir uma carteira bitcoin? E, finalmente: Como comprar bitcoins?

Bitcoins podem ser comprados ou vendidos de maneira online e offline. Existem usuários de serviços de câmbio online que são responsáveis por lances de compra e venda da moeda. Porém, é preciso ficar atento e saber que o uso de câmbio online pode ser arriscado porque estes serviços estão podem ser hackeados, levando consigo os bitcoins de clientes que estiverem sob sua responsabilidade. Também estão disponíveis terminais de autoatendimento para realização do saque de bitcoins (ATM), que permitem a troca de dólares ou reais, por exemplo, em espécie por bitcoins e vice-versa.

Curiosidade: Em julho de 2015, o Brasil bateu o recorde local de transações em bitcoins, somando 10 mil bitcoins, equivalentes a 9,3 milhões de reais à época.

Como funcionam as transações com bitcoin?

bitcoin Simplificando, o processo de transação envolve três bases: recebimento do endereço destinatário, criação da transação e finalmente a transmissão da transação. Dentro da rede de bitcoins, as transferências ocorrem por meio de transações entre o endereço remetente e o destinatário. Também é possível que um mesmo usuário crie mais de um endereço e faça auto transferências e também é possível que uma única transação envolva diferentes destinatários. Usuários que realizam pagamentos precisam saber o endereço destinatário para iniciar o processo. O receptor pode enviar o endereço em forma de texto, ou pela geração de um código de barras do tipo QR, que será escaneado pelo dispositivo do comprador. O programa de carteira (falaremos mais à frente sobre as carteiras) do comprador ou pagador ficará encarregado de criar a transação. Para isso, é necessário apenas informar a quantidade de bitcoins que deseja transferir e qual o endereço bitcoin de destino final. Para que a transação seja transmitida à rede bitcoin é necessário estar conectado à internet. Uma vez tendo sido enviada online, a transação não pode ser cancelada ou revertida. O receptor dos bitcoins não precisa estar online no momento da transação ou também enviar qualquer tipo de confirmação ou aval para realização da transferência.

Existe uma taxa opcional que pode ser paga a cada transação. O pagamento dela gera prioridade para que os mineradores incluam mais rapidamente a transação no block chain – uma espécie de banco de dados distribuídos, que tem a função de ser o ponto de registro da contabilidade pública onde são registradas as transações bitcoin. Falaremos mais sobre ele. Mineradores podem determinar as transações que irão processar e, como não podia ser diferente, priorizam as que pagam as maiores taxas.

Como gerar bitcoins? Mineirar!

bitcoin O ato de gerar bitcoins é popularmente chamado de “minerar”, inspirado na mineração de ouro. O processo funciona mais ou menos assim: A rede bitcoin é responsável por criar e distribuir novos lotes de moeda a em uma taxa de cerca de seis vezes por hora de maneira aleatória entre participantes que estão rodando o programa de o software de mineração. As chances e probabilidade de um minerador aleatório ganhar um lote está diretamente ligado ao poder de processamento do computador que ele está inserido para contribuir para a rede bitcoin. Quanto maior for, maiores são as chances. Geralmente, cada lote tem cerca de 50 btc. Nos dias atuais, a mineração de bitcoins é um setor altamente competitivo, inclusive com hardware especializado sendo vendido no mercado. É completamente inviável utilizar computadores “comuns” para realizar a mineração devido à falta de capacidade técnica e também pelo consumo de energia elétrica, que custaria mais do que o valor de recompensa em bitcoins. Muitos mineradores passaram a utilizar os chamados circuitos integrados de aplicação específica (ASIC) para a mineração de bitcoins. Algumas empresas comercializam estes sistemas com preços que variam entre 250 e 2500 dólares.

Carteiras de Bitcoin

bitcoin Vamos entender como funciona o conceito de carteira para uma moeda 100% digital. A carteira de bitcoin tem a função de armazenar as informações necessárias para realizar transações com a moda. Ao contrário do que o nome sugere, as carteiras não funcionam como um depósito de bitcoins, mas sim como um local de armazenamento de credenciais digitais que permitem a utilização dos fundos de bitcoins.  A tecnologia bitcoin é baseada em criptografia e a utiliza em forma de chave pública. Na qual são geradas duas chaves criptográficas: uma pública e outra privada. Em outras palavras: a carteira funciona como uma espécie de chaveiro, onde as chaves são seus endereços privados para realização das transações.  A chave privada está ligada ao acesso aos fundos da carteira e, por sua vez, a chave pública pode ser informada a terceiros para receber fundos. Ao realizar transações, usuários devem apenas informar o endereço destinatário, pois o endereço remetente e sua respectiva chave privada já estão salvos no dispositivo do usuário.

 Existem diferentes modalidades e tipos de carteira de bitcoin e são divididas por grupos:

  • Carteira física: Como diz o nome, utiliza algum tipo de armazenamento físico das chaves privadas.
  • Carteira de hardware: Utiliza dispositivo eletrônico para o armazenamento das chaves criptográficas, mas ainda conta com ferramentas físicas.
  • Software de carteira: Em forma de aplicativo para computador, smartphone ou tablet.
  • Serviço de carteira: Serviço online para armazenamento das chaves para clientes.
  • Carteira offline: Qualquer tipo de carteira que nunca se conecta à internet.

Como posso investir em Bitcoins?

bitcoinAgora que você está mais familiarizado com o tema, vamos apresentar um passo a passo para investir na moeda virtual.

  • Você precisa criar uma carteira em uma corretora que lide com bitcoins, são chamadas de Exchange.
  • A partir daí a corretora vai criar e lhe enviar um endereço e um QR code. É como se você recebesse as informações sobre agência e conta de seu banco. Será por meio destas informações que você estará apto a realizar transações.
  • Fique atento para os tutoriais de segurança que vão ser indicados pela corretora. É fundamental seguir o protocolo para ter mais segurança.
  • Para obter bitcoins você precisa adicionar uma quantia de dinheiro à sua corretora. Você pode transferir um valor em reais para a corretora.
  • Uma vez com créditos em conta, você pode trocar por bitcoins. Como o valor cambial do bitcoin atual gira em torno de 3 mil dólares, não pense que você deva ter este valor para adquirir 1 BTC. Pois a moeda virtual possui até nove casas decimais. Portanto você pode realizar transações com valores menores como R$100, por exemplo.
  • Acompanhe e fique atento à cotação. Ela é muito volátil e lida com grandes variações em períodos curtos. Portanto, fique ligado para saber a melhor hora de comprar ou vender.
  • A qualquer momento você pode converter seus valores em bitcoins para reais ou dólares e realizar o saque. Um fato legal sobre isso é realizar transferências internacionais de maneira mais rápida e com taxas menores aos bancos convencionais.

bitcoin

  • As transferências ou pagamentos são quase instantâneos. Geralmente dura em torno de dez minutos para concluir o processo.
  • Fique atento aos impostos. A Receita Federal incluiu moedas virtuais na declaração do IR. Caso o usuário movimente mais de R$ 35 mil mensalmente, será cobrado uma alíquota de 15%.

 

Você sabia?

Em abril deste ano, um sequestrador exigiu a recompensa em moedas virtuais. Isso mesmo! O fato ocorreu em Florianópolis e o criminoso negociou o resgate em valores altos das criptomoedas Zcash e Monero. Estas não são tão populares quanto o Bitcoin, mas já é um termômetro para mostrar o aumento da presença destas moedas nas sociedades.

Particularidades

Diferentes das moedas que conhecemos, o Bitcoin ganha destaque por contar com propriedades tecnológicas e neutralidade que ocorre em sua rede, pois nenhum administrador ou programador pode controlar a emissão. Ou seja, não é possível haver inflação e deflação de bitcoins devido a sua natureza descentralizada e a independência. O que a deixa livre de intervenções de instituições bancárias ou interferências geopolíticas. Diferentemente do sistema regido por Bancos Centrais, o blockchain rege um conjunto de regras que norteiam a rede Bitcoin e são determinadas por meio de um código aberto que é valido apenas se pelo menos 51% dos usuários, possuidores de carteiras bitcoin, aceitarem as regras. Outra característica é que estas regras podem ser mudadas, igualmente por meio de consenso. Como dissemos anteriormente, portanto, a emissão de novas moedas não pode ser manipulada com objetivo de alterar o poder de compra dos usuários da rede. Apesar disso, fortes movimentos de especulação sobre oferta e demanda podem gerar oscilação de valor em mercados cambiais. As transações guiadas por moedas digitais não possuem intermediário e, por isso, não há possibilidade de estornos.

A fama popular  das moedas digitais começou de uma maneira bem negativa, com associação a transações ilegais, como tráfico de drogas e de armas. A legalidade das moedas virtuais é uma pauta que está sendo discutida no mundo. No Japão, elas foram legalizadas de maneira oficial em abril deste ano. Na terra do sol nascente, as moedas virtuais vendo sendo utilizadas por comerciantes e recebem forte lobby positivo de redes varejistas. Isso ocorre porque os japoneses já têm usado moedas virtuais como forma de pagamento no cotidiano, seja em contas domésticas ou até para bancar o saquê. Segundo fontes do próprio país, mais de 4 mil lojas no Japão já aceitam o bitcoinA expectativa de crescimento é grandiosa e há previsões que arriscam que o número vai passar dos 200 mil ainda este ano. Partindo para outra grande economia mundial, a Rússia estuda a criação de um projeto lei para regulamentar as moedas virtuais até o próximo ano, com objetivo de obter mais controle sobre a corrupção e a lavagem de dinheiro, uma vez que todas as transações digitais podem ser rastreadas e acompanhadas. Em nosso país, ainda não existem normas que regulamentem ou proíbam a utilização de moedas virtuais, mas, como já informamos anteriormente, entrou na pauta da Receita Federal e já faz parte das declarações anuais de imposto de renda dos brasileiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *