Investimento em tesouro direto e gestão de risco

como aplicar no tesouro direto

                 Muitas pessoas investem no tesouro direto como uma forma de manter o seu portfólio de investimentos estável diante da volatilidade do mercado de ações. Essa é uma estratégia bastante popular, da qual eu discordo parcialmente. Por um lado, acho interessante ter investimentos em diversos tipos de ativos, entretanto eu acredito que, no caso do tesouro direto, há uma falta de compreensão do real potencial dessa forma de investimento que leva muitos investidores a não aproveitá-lo de forma eficiente e, em minha opinião, muito poucos são os que realmente sabem como investir no tesouro direto.

Assim, nesse artigo vou falar mais sobre o tesouro direto como forma de diversificar o portfolio e apresentar as vantagens e desvantagens dessa visão.

Vantagens – Investimentos em títulos do tesouro direto, em sua forma tradicional e sem a aplicação de estratégias mais complexas de investimento, tem um grau de segurança bastante elevado. Se você fizer como grande parte das pessoas que utiliza fundos de investimento, como fundos de renda fixa por exemplo, para fazer essa aplicação em títulos do tesouro, então o grau de risco que você correrá é bastante pequeno.

Em função disso, esse tipo de estratégia acaba sendo ideal para pessoas que não tem muita vontade de se tornarem grandes investidores, e querem apenas um retorno bem moderado, com riscos baixos, para o seu capital. Outra opção é para quem realmente vê o investimento no tesouro direto apenas como um hedge para outros investimentos que possa fazer, como no mercado de ações. Nesse caso, o objetivo também é atendido à medida em que você terá um retorno relativamente garantido em caso de uma parte de seu capital, aplicado em investimentos com maior risco, acabar sendo perdido.

como aplicar no tesouro direto

Desvantagens – A principal desvantagem de encarar o tesouro direto meramente como algo a ser utilizado para suprir os riscos da bolsa de valores ou de qualquer outro mercado no qual você invista, é que você perde as grandes oportunidades que saber investir em títulos do tesouro direto poderiam lhe conceder.

Na verdade, eu preciso admitir que eu mesmo tinha esse tipo de mentalidade há alguns anos atrás, mas após me dedicar a estudar e entender melhor esse mercado percebi claramente que, para quem sabe realmente investir no tesouro direto, existem dezenas de oportunidades não exploradas que podem gerar retornos impressionantes até mesmo comparados aos retornos possíveis para um investidor eficiente no mercado de ações.  A partir daí, comecei a investir em títulos do tesouro direto desde então, e posso dizer que hoje o tesouro direto é uma fatia considerável do meu portfólio total, não por que eu esteja simplesmente tentando diversificar o portfólio investindo no tesouro, mas porque eu realmente tenho consciência do potencial desse tipo de investimento.

Por isso eu acredito que você também deveria passar a olhar o tesouro direto como uma grande oportunidade de investimentos.

O be-a-bá do Tesouro direto

Como investir no tesouro direto

Investir no tesouro direto, para quem sabe fazer da maneira correta, é uma das melhores oportunidades de investimento, na minha opinião, para qualquer investidor que pretenda ter ótimos retornos a um baixo risco.

Apesar disso, muitas pessoas ainda não tem ideia de como exatamente investir no tesouro direto, e as vezes nem mesmo o que é exatamente o tesouro direto, e foi para essas pessoas que este artigo foi escrito.

Um título do tesouro direto é um papel emitido pelo governo por meio do qual você empresta dinheiro ao governo e, em troca, o governo promete a você que irá recompar o título de volta em uma data futura pré-determinada, chamada de data de maturação, e te pagar além disso juros em um montante também pré-determinado.  O investimento em títulos do tesouro direto, feito do modo tradicional, ou seja, a compra simples de alguns títulos do tesouro com o fim de reserva de dinheiro a ser reobtido futuramente em conjunto com o juros, tende a ser considerado bastante seguro, por ter como devedor do outro lado o tesouro do país.

Como investir no tesouro direto

Apesar disso, sempre há riscos, é claro. Como em qualquer outro tipo de investimento, há riscos envolvidos e se você quer ser um investidor bem sucedido uma das primeiras habilidades que você terá que desenvolver é a habilidade de tolerar e conviver com o risco, o que obviamente não significa de jeito nenhum ser completamente irresponsável e assumir qualquer risco de modo impulsivo.

No caso específico dos títulos do tesouro direto, existe o risco de inflação. Esse risco se traduz na possibilidade de que a inflação aumente substancialmente entre a da data de compra do título e a data de maturação e, assim, o dinheiro recebido acabe tendo muito menos poder de compra do que o que foi utilizado para a aquisição dos títulos. Isso não costuma ser um risco muito provável a menos que estejamos falando de alguma situação completamente imprevista que eleve drasticamente a inflação a níveis jamais vistos antes.

Você também pode investir em títulos do tesouro de outros países, o que traz uma série de vantagens e desvantagens que não cabem serem analisadas agora, talvez em um artigo futuro. Nesse caso, é importante ter em mente, por hora, que também há o risco extra do câmbio, ou seja, o risco de que a moeda na qual você irá receber o pagamento do título desvalorize em relação ao real.

Saiba um pouco mais sobre os principais títulos emitidos pelo Tesouro Nacional

investir no tesouro direto

Embora muitas pessoas não entendam muita bem o mercado de títulos do tesouro nacional, ele continua sendo uma das melhores oportunidades de investimento para quem sabe aplicar nele da maneira correta. Para isso, o primeiro passo é conhecer um pouco melhor os principais títulos emitidos pelo Tesouro brasileiro, então vamos a eles.

Os títulos emitidos pelo tesouro podem ser divididos em 4 tipos diferentes. Temos primeiro os títulos indexados ao IPCA – o índice de preços ao consumidor, uma medida da inflação existente – Esses títulos tem rentabilidade vinculada à variação do IPCA somadas aos juros oferecidos no momento da compra. Fazem parte desse grupo as NTN-B e as NTN-B principal. As primeiras pagam o valor integral dos juros apenas na data de vencimento, ou data de maturação, enquanto as NTN-b principal vão pagando os juros de modo gradual da data de aquisição até a data de maturação.

Há também os títulos pré-fixados, cuja rentabilidade é definida no momento da compra, como as LTN e as NTN-F. Assim como no caso anterior, as LTN pagam os juros de um única vez na data do vencimento enquanto as NTN-F pagam os juros de modo diferido.

investir no tesouro direto

O terceiro tipo são os títulos vinculados a taxa SELIC, que são títulos pós-fixados vinculados à variação da taxa SELIC. Neste tipo se incluem as LFT, ou letras financeiras do tesouro, que possuem um fluxo de pagamento simples, com o investidor recebendo todo o montante devido de uma única vez, na data do vencimento.

Por fim, temos os títulos indexados ao IGPM, que são títulos vinculados à variação do IGPM, acrescido de juros no momento da compra. Nesse grupo se incluem as notas do tesouro nacional série C, ou NTN-C.

Bom, de forma bem resumida, esses são os principais títulos emitidos pelo Tesouro nacional. Em artigos futuros iremos explorar melhor as peculiaridades de cada um desses títulos e até mesmo algumas estratégias que podem ser aplicadas na sua estratégia de investimento tesouro direto.

Quais os tipos de títulos do tesouro que eu posso investir

Títulos do tesouro

            Já falamos em vários outros artigos em riqueza de detalhes sobre as características do investimento em tesouro direto. Nesse artigo iremos falar brevemente sobre os diferentes tipos de títulos do tesouro nos quais você pode investir. Eu recomendo que você escolha aquele que mais se adapta ao seu perfil.

Primeiro vamos falar sobre os diferentes tipos de títulos do tesouro, que são dois: Títulos pré-fixados e títulos pós-fixados. Os pré-fxados são títulos nos quais o investidor já sabe quais são os juros que irá receber, já nos pós fixados o investidor recebe uma remuneração que irá variar de acordo com algum índice determinado, como o IPCA, por exemplo. Entre os títulos com maior nível de circulação estão: Letras financeiras do tesouro, letras do tesouro nacional, NTN-F, NTN-B e NTN-B Principal.

As LFT, ou letras financeiras do tesouro, são títulos pós-fixados, atrelados a variação da taxa SELIC, a taxa de juros básica da economia. A desvantagem é que se a inflação ficar muito alta e começar a se aproximar da SELIC seu ganho com a simples compra desse título pode ser quase próximo de zero.

Títulos do tesouro

As LTN, ou letras do tesouro nacional, são títulos pré-fixados, que geralmente oferecem um valor um pouco mais elevado do que a taxa de juros. Já as NTN-F, ou notas do tesouro nacional série F, são bastante semelhantes as LTN, mas com a diferença que os juros são pagos de forma periódica, geralmente semestralmente.

As NTN-B, notas do tesouro nacional série B, são títulos pós-fixados indexados a inflação e que além disso também oferecem o pagamento de juros periodicamente. A NTN-B principal é igual a NTN-B, com a única diferença de que os juros não são pagos semestralmente, mas apenas na data de maturação do título e se você vender o mesmo antecipadamente.

Compreendendo como funciona o tesouro direto

Aplicando no Tesouro direto

Hoje vamos voltar a falar um pouco mais sobre os fatores que influenciam o preço de um título do tesouro negociado no mercado. A característica de o título ser resgatável antes da data ou não é mais um fator que pode ter grande influência no seu preço.

Títulos resgatáveis são títulos que podem ser recomprados pelo emissor de forma completamente discricionária em uma determinada data, ou seja, o emissor pode decidir se compra de volta o título e paga os juros previstos até aquela data, sem que o comprador do título tenha qualquer poder de exigir isso ou se opor.

Esse resgate geralmente irá ocorrer caso os juros no mercado estejam baixos, pois assim o emissor dos títulos pode recomprá-los e então se refinanceiar com juros muito mais baratos. A possibilidade de resgate antes da data de maturação gera nos títulos um efeito semelhante aquele gerado pela aproximação da data de maturação, ou seja, o preço do título tende a ficar próximo do valor de face a medida em que aumenta a possibilidade de resgate antecipado.

Aplicando no Tesouro direto

Enxergando o Tesouro direto como investimento

 

            Muitas pessoas possuem uma grande dificuldade para enxergar outras formas de investimento além da bolsa de valores, e isso se aplicar em grande escala ao tesouro direto. Há uma grande resistência em entender como esse mercado funciona e como podem se elaboradas estratégias para gerar altas rentabilidades, e isso ocorre na mior parte das vezes porque as pessoas ainda vem o tesouro direto apenas como uma forma de “não deixar o dinheiro parado”.

Embora seja possível sim que você se utilize do tesouro direto apenas como uma forma de obter uma rentabilidade mínima ou mediana a uma baixo risco, fazendo isso você esta perdendo uma grande oportunidade de investimento. Através do conhecimento dos fatores que influenciam o preço de negociação no mercado de um título do tesouro você já pode começar a montar suas primeiras estratégias para se aproveitar dessas variações. A partir do momento em que você estiver querendo lançar mão de estratégias mais avançadas entretanto, eu acho que um bom curso de tesouro direto iria lhe ajudar muito a dar os seus primeiros passos sem cometer grandes erros, consequentemente evitando perdas desnecessárias de dinheiro.

Como iniciar seus investimentos no Tesouro direto

investir no tesouro direto

            Através do conhecimento de como funciona o mercado de negociação dos títulos do tesouro, podemos começar a entender como formular estratégias mais avançadas que nos permitam ganhar cifras mais significativas em termos de rentabilidade. Vale a pena lembrar que, mesmo quem não esta disposto a conhecer tão bem o investimento em tesouro direto para ser capaz de realizar esses tipos de estratégias, é possível obter uma rentabilidade bastante razoável – algo em torno de 15% ao ano – se comparado com os meios de investimento tradicionalmente disponíveis no mercado bancário com o mesmo perfil de risco.

Por outro lado, se você tem a vontade e a disposição para conhecer mais sobre o mercado de negociação dos títulos do tesouro direto e almeja obter rentabilidades mais expressivas então você precisa entender melhor sobre como o mercado funciona, e isso obviamente demandará tempo.

investir no tesouro direto

Felizmente existem bons cursos sobre investimento no tesouro direto que podem te ajudar bastante nesse ponto. Um dos melhores cursos desse tipo, na minha opinião, é o curso carteira rica, criado pelo Eduardinho. Para quem não conhece, o eduardinho já investe em títulos do tesouro direto há mais de uma década e já é considerado no mercado brasileiro como uma grande referência e autoridade no assunto.

O curso dele é muito interessante para quem nunca investiu no tesouro direto de uma forma mais arrojada e isso porque tem uma metodologia bem simples para ensinar conceitos avançados de uma maneira fácil de absorver. Apesar dessa metodologia simples, entretanto, não significa que o curso seja algo ordinário, pelo contrário. Uma das coisas que eu mais gosto nesse curso de tesouro direto é que ele é baseado em estratégias de investimento aplicadas por investidores no mundo inteiro, e métodos de avaliação e aplicação do dinheir aprendidos diretamente com grandes investidores alemães pelo Eduardinho.

Eu mesmo fiz o curso e, posso dizer que passei a investir no tesouro direto com muito mais eficiência. Antes eu já investia na bolsa e obtinha grandes resultados e comecei no Tesouro direto como forma de diversificar meus investimentos, sem grandes pretensões. Porém, após tomar conhecimento do curso e aplicar o método do eduardinho para investir no Tesouro direto, pude começar a ver resultados muito mais expressivos.

O próprio eduardinho consegue obter rotineiramente anos com 130 a 140% de rentabilidade oque, se você conhece algo sobre investimentos, vai perceber que é realmente impressionante. É claro que você pode tentar aprender sozinho também e, se for perseverante, certamente conseguirá criar uma estratégia vencedora de investimento no tesouro direto. O problema é que isso leva tempo, e tempo também é um ativo. Por isso, na minha opinião, vale mais a pena investir em um mentor, alguém que possa te ensinar o caminho correto logo de primeira, para que você não perca tempo cometendo erros sem sentido como a grande parte dos iniciantes. Na minha opinião, esse cara quando se trata de investir no tesouro direto é o Eduardinho.

Entendendo melhor o tesouro direto

como aplicar no tesouro direto

                        O tesouro direto, como você já sabe, é composto pelos títulos emitidos pelo governo, que são comprados a um determinado valor pelo investidor e resgatados a um valor maior em uma determinada data futura pelo Governo, sendo essa diferença o lucro do investidor.

Entretanto, talvez você não saiba que os títulos do tesouro direto são negociados no mercado, assim como ações e commodities, desde a época em que são emitidos até o momento de maturação, o que abre a possibilidade para diversas estratégias mais complexas, porém com muito maior potencial de rentabilidade, envolvendo esses títulos.

Essa parte do investimento em tesouro direto é um pouco mais complicada e exige do investidor conhecimentos mais apurados para que ele possa se aproveitar e lucrar através de operações estrategicamente planejadas. Vamos explicar melhor como funciona essa negociação para que você comece a entender melhor como investir no tesouro direto.

como aplicar no tesouro direto

Todo título do tesouro possui um valor de face, que é o valor pelo qual esse título será resgatado, ou seja, o valor que o governo pagará ao comprador/investidor do título na data de vencimento, também chamada de data de maturação do título. Com a livre negociação dos títulos do tesouro direto no mercado, como já falamos, o preço desses papéis irá variar bastante, podendo ficar em muitos momentos acima ou abaixo do valor de face. Esse preço irá variar basicamente de acordo com a taxa de juros e as forças de oferta e demanda do mercado. Se os juros do mercado estão altos, por exemplo, o preço dos títulos do tesouro no mercado tende a diminuir, pois comparativamente eles se tornam menos interessantes em relação a outras formas de investimento com perfil de risco semelhante. Já se os juros do mercado estão muito baixos, os títulos do tesouro tendem a se valorizar em função de apresentarem juros mais atrativos. Um título cujo valor no mercado esteja acima de seu valor de face é chamado de título premium enquanto um cujo valor esteja abaixo do seu valor de face é chamado de título de desconto.

Outro ponto importante de se notar com relação ao tesouro direto é que títulos com uma pequena distãncia temporal entre a data de emissão e a data de vencimento tendem a apresentar pequenas variações de preço no mercado, se mantendo bastante próximo ao seu valor de face. Já no caso de títulos com uma escala temporal mais esticada, há uma variação muito maior do seu preço de negociação no mercado, devido principalmente a maior probabilidade variação da taxa de juros praticada nesse período maior de tempo. Tanto os títulos premium como os de desconto tendem a apresentar um preço muito próximo do seu valor de face a medida em que a data de maturação vai chegando, eventualmente chegando a zero.

Todas essas considerações já te permitem começar a pensar em estratégias mais complexas para serem postas em prática. Entretanto, para isso você precisa primeiro aprender como aplicar no tesouro direto. Nos próximos artigos eu irei falar melhor sobre isso.

Porque investir no tesouro direto

Como investir no tesouro direto

            Quando falamos em investimento a maior parte das pessoas pensa logo na bolsa de valores e investimento em ações. Sem qualquer dúvida, a bolsa de valores é o tipo de investimento mais popular , isso é, se excluirmos aqueles investimentos “de mentirinha” como a caderneta de poupança, que rende tão pouco que não pode realmente ser considerada como uma forma de investimento por quem esta sério em investir.

Investir em ações na bolsa de valores certamente é uma excelente oportunidade para quem tiver a inteligência para fazer isso da maneira correta. Entretanto, eu acredito que é necessário aprender sobre diversas formas de investimento antes de decidir aquele mais adequado ao seu perfil. Além disso, não necessariamente você precisa investir em um único mercado e na realidade é até interessante que você divida o seu capital de investimento entre diversos mercados diferentes, de modo a mitigar ao máximo o seu risco e evitar ficar atrelado a um único tipo de mercado. Eu mesmo invisto na bolsa de valores, Forex, tesouro direto, entre outros. Mas hoje eu vou falar um pouco mais sobre o investimento no tesouro direto.

Como investir no tesouro direto

 

Quais as vantagens de investir no Tesouro direto

 

            Muitas pessoas não entendem muito bem qual a real vantagem de investir no tesouro direto e, para falar a verdade, não entendem nem como funciona exatamente esse tipo de investimento. Felizmente, não é muito difícil entender como você pode começar a investir no tesouro direto e quais são as vantagens de fazer isso.

Diferentemente do mercado de ações, no qual você compra um papel representante de uma parcela de uma determinada empresa, no tesouro direto você irá aplicar o seu dinheiro em títulos de dívida emitidos pelo Governo.

Um título de dívida é um documento no qual alguém se compromete a pagar ao portador do título uma determinada quantia em uma determinada data. Assim, é como se fosse uma espécie de empréstimo de dinheiro que o comprador faz ao emissor do título no momento em que o adquire, e em troca recebe uma determinada quantia extra a título de juros em uma data futura, que já estará pré definida.

Os títulos do tesouro direto são emitidos para financiamento do governo, como uma alternativa ao aumento de impostos. Em geral, se considera que títulos emitidos pelo governo possuam um baixo risco de crédito, que é a medida do risco de o devedor não pagar, e isso ocorre porque diferentemente de um devedor comum, um governo sempre pode aumentar tributos – ou mesmo imprimir dinheiro, o que não é recomendado devido aos desastrosos efeitos inflacionários que daí decorrerão – para conseguir o dinheiro para pagar as suas dívidas.

A grande questão com relação a investir no tesouro direto é que, mesmo para quem não possui um grande conhecimento técnico sobre economia ou a respeito do mercado, pode aproveitar uma boa oportunidade de investimento no tesouro direto. Até mesmo a simples compra de um título do tesouro, para resgate na data avençada, pode gerar retornos de 10-15% ao ano, o que já é superior a muitas outras formas de investimento com risco semelhante disponíveis no mercado.