Investir na bolsa: Análise técnica ou fundamentalista?

Investir na bolsa: Análise técnica ou fundamentalista?
5 (100%) 2 votes

Uma das principais dúvidas de um investidor iniciante na bolsa de valores é saber qual dos dois métodos mais famosos de investimento ele deve usar em seus próprios investimentos, a análise técnica ou a análise fundamentalista. Vou tentar aqui fazer uma breve explicação sobre esses dois métodos e provavelmente ao final desse artigo você já vai ter uma boa ideia de qual das duas metodologias é a mais adequada ao seu perfil.

 

Análise técnica

Vamos começar pela análise técnica. A essência da análise técnica é a de que toda a informação de que você precisa para investir no mercado já estará incluída na variação do preço das ações ao longo do tempo e o volume de negociação. Assim, ainda que haja investidores no mercado com acesso a informações as quais o grosso do público investidor não tem – seja um investidor institucional como os grandes bancos ou simplesmente investidores com um grande volume de capital – essas informações já estarão “descontadas” no preço das ações no mercado. Nesse sentido, você só precisa saber como interpretar a movimentação do preços e variação dos volumes negociados dos ativos nos quais você investe.

Mas como funciona na prática a análise técnica? Bom, se você nunca ouviu falar sobre esta forma de análise de investimentos, a primeira coisa que você precisa saber é que ela envolve a análise de gráficos do preço das ações em função do tempo, e por isso mesmo também é conhecida como análise gráfica. Esse método também costuma envolver um pouco mais de matemática devido as inúmeras fórmulas que são usadas com certa frequência para determinar o ponto de entrada (hora de comprar) ou o ponto de saída (hora de vender) de uma determinada ação negociada em bolsa de valores (Aprenda mais sobre como investir de maneira inteligente na bolsa de valores clicando aqui). Entretanto, a utilização extensa da matemática nesse tipo de estratégia não costuma ser um grande problema, mesmo para quem não tem lá muita aptidão para a matéria, pois hoje em dia já existem diversos programas que podem fazer todos os cálculos para você. Apesar disso porém é sempre útil entender pelo menos como funcionam as fórmulas, ainda que você não tenha que calcula-las na prática, pois com isso você vai ter uma melhor visão da estratégia.

A análise técnica pode ser aplicada em uma variedade de durações diferentes, desde o day trade – operações de curto prazo visando se aproveitar da variação do preço de um ativo no mesmo dia – até a operaçAnálise técnica ou fundamentalista para investir na bolsa de valores?ões de position ou swing trade na qual o foco é um período de tempo um pouco maior para a conclusão do trade, podendo ser de alguns dias até alguns meses. Para entender melhor a análise técnica vamos começar estudando a sua origem.

 

 

Charles Dow e o nascimento da análise técnica

A análise técnica surge com aquele que deu nome ao famoso índice Dow Jones, um colunista do Wall Street Journal há mais de 100 anos atrás. Ele percebeu através de extensa análises do mercado que certos padrões de movimentação no preço das ações tendem a se repetir ao longo do tempo.

Com base nessa ideia central, Dow descobriu 6 fundamentos principais sobre o comportamento do mercado de ações. O primeiro é que os índices de ações descontam todos os fatores envolvidos no mercado, ou seja, representam a mesma tendência de movimentação que os ativos que representam.

O segundo fundamento é que o mercado possui 3 tendências: A primária – a tendência mais geral de subida ou descida dos ativos – que geralmente é a dominante. A secundária que é a movimentação dos ativos ao longo de um tendência (o sobre e desce constante do ativo) e a tendência terciária, que se forma entre a tendência secundária. Vai ficar mais fácil vizualizar o que estamos querendo dizer com o gráfico abaixo:

Análise técnica

O terceiro fundamento de Dow fala sobre as 3 fases da tendência primária: A de acumulação, na qual o ativo, começa a mostrar sinais de reversão da tendência para uma alta, a participação pública, na qual o preço fica em tendência de alta em função da compra constante pelos investidores e a distribuição, na qual a notícia de alta se espalha e a compra dos ativos dispara, momento no qual muitos investidores aproveitam para se desfazer de suas ações.

Os índices devem confirmar uns aos outros, ou seja, dentro de um mesmo mercado os índices menores, que representam um nicho específico de ações so podem ter sua tendência confirmada se o índice mais geral também possuir a mesma tendência (ibovespa, no caso da bolsa de valores brasileira) e vice-versa.

O quinto fundamento é o de que o volume de negociação deve confirmar a tendência, ou seja, em uma tendência de alta o volume de ações deve subir, assim como também em uma tendência de baixa o volume deve diminuir.

O sexto e último fundamento de Dow é o de que tendências irão ocorrer quando não houver sinal de reversão.

Esses seis princípios formam a base da análise técnica atual. Junto a eles, existem os indicadores, que são medidas de determinadas características na movimentação das ações que irão nos dizer quando entrar ou sair do mercado. Os indicadores e candlesticks (As barras vermelhas ou verdes que você ve nas imagens acima, que nos dão informações a respeito do volume de negociação e preço) foram criados posteriormente, tendo em vista que os princípios de Charles Dow não visavam dizer aos investidores como investir, mas sim analisar o mercado e tentar criar um modelo para entendê-lo.

 

Gestão de risco com warren buffetEssa é, em suma, a tão falada análise técnica. Na prática, existem diversos modos de aplicar a análise técnica na prática, com dezenas de indicadores e combinações diferentes, mas não é o objetivo desse artigo falar disso. O ponto central aqui é deixar claro que para a análise técnica, o fator primordial é você ter um bom plano de seleção de ativos para investir e, principalmente, uma excelente gestão de risco para evitar grandes perdas, o que é fundamental a longo prazo para fazer você enriquecer, e não é a toa que uma das regras de ouro de Warren Buffet, um dos maiores investidores do mundo, é exatamente evitar ao máximo as perdas, antes mesmo de se preocupar em ter retornos altamente expressivos. (‘Regra número 1 dos investimentos: Nunca perca dinheiro. Regra número 2: Jamais esqueça a regra número 1″, Buffet diria.)

Você deve lembrar que cada perda que você tem, torna-se muito mais difícil retornar ao patamar anterior. Uma perda de 50% em seus ativos significa que você terá que gerar um resultado de 100% para retornar ao seu patamar anterior, já uma perda de 70%  irá significar q você terá que triplicar seu capital para voltar ao seu estágio anterior! Não é preciso ser nenhum gênio da matemática para perceber que nesse ritmo você nunca irá ficar rico investindo. Esse é um dos maiores cuidados que se deve ter, e com a análise técnica ele fica mais aparente.

A Análise Fundamentalista

Outra forma de investimento é através de análise fundamentalista, que é bem diferente da análise técnica que acabamos de falar. Esse é o método utilizado pelo Warren Buffet para investir, que ele aprendeu diretamente de seu mentor, Benjamin Graham

Análise fundamentalista
Benjamin Graham, pai da análise fundamentalista

Com esse tipo de estratégia você vai buscar analisar muito mais as características intrínsecas da empresa na qual você esta investindo – como por exemplo o coeficiente dividendos/preço – para então determinar o valor intrinseco daquela companhia, isto é, o quanto a empresa vale independentemente da cotação do mercado. Depois disso, você pode comprar ou não a ação. No caso de a cotação de mercado estar abaixo do valor intrinseco pelo método fundamentalista, você deve comprar a ação, pois você sabe que a empresa vale mais do que aquilo e é apenas uma questão de tempo até que o mercado passe a avaliar a ação pelo preço correto.

O método fundamentalista possui uma diferença essencial em relação a análise gráfica que é o escopo temporal, que costuma ser bem maior. Muitas vezes, inclusive, o foco de um investidor fundamentalista é realmente nunca realizar os seus ganhos vendendo suas ações no mercado, porém permanecer como sócio daquelas companhias a longo prazo, uma vez que tenham sido identificadas como empresas de alto valor intrínseco comparativamente ao preço do mercado.

Agora que você entende as principais diferenças entre esses dois tipos de análise do mercado, já pode decidir qual se encaixa melhor no seu perfil de investidor. Mas não deixe de considerar que o principal fator para seu sucesso no mercado é e sempre será o seu preparo psicológico, portanto invista prioritariamente nele!