O que é o índice Ibovespa?

Ibovespa

Caso você acompanhe o noticiário econômico, deve ouvir diariamente falar em índice Ibovespa. Ora o índice Ibovespa recuou para “X” pontos, o que quer dizer que a B3 vai mal, ora subiu para “Y” pontos, o que quer dizer que a B3 vai mal.

Mas o que tudo isso significa?

Calma, há uma explicação simples e esclarecedora para tudo. B3 nada mais é que a bolsa de valores brasileira, mas é bom se acostumar com esses termos porque eles povoam o noticiário econômico e de investimentos.

Ibovespa

Quanto aos tais pontos, cada um deles representa R$ 1,00. Então, se a gente diz que o Ibovespa está valendo 50 mil pontos, significa que a carteira de ações que compõem o índice está valendo R$ 50 mil. É claro que esse valor de R$ 50 mil refere-se a um pequeno lote de ações dessa carteira.

Então, para podermos consolidar o conceito, o índice Ibovespa é uma carteira imaginária de ações de diversas empresas negociadas na B3.

 

Como é composto o índice Ibovespa?

Você deve estar curioso para saber como é composto esse índice. Há alguns critérios. É preciso que a carteira imaginária que compõe o índice represente pelo menos 85% das ações negociadas na B3 em determinado período.

Essa composição é reavaliada a cada quatro meses para ajustar o índice à realidade do mercado. Os critérios para que a ação componha o índice Ibovespa são:

– ter sido negociada em pelo menos 95% dos pregões nos últimos 12 meses;

– precisa ter uma participação de pelo menos 0,1% no volume de negócios realizados no mesmo período.

Empresas em recuperação judicial ou cuja cotação tenha transposto para baixo a barreira de R$ 1,00 estão inclusas nos critérios de exclusão e podem ser substituídas na composição do índice.

Indice Ibovespa

O conjunto de requisitos gera um indicador chamado “índice de negociabilidade”, que é o critério usado para a composição da carteira imaginária. Vale ressaltar, no entanto, que nenhuma empresa pode participar em mais de 20% do índice Ibovespa, mesmo que os indicadores sugiram assim. Tal medida visa manter o equilíbrio da carteira.

Mas para que serve tudo isso?

Agora que você já tem uma noção clara do que é e como é composto o índice Ibovespa, vamos ao principal, que é a sua finalidade.

Essa parte é fácil de entender. Quando você entra no mercado de ações, precisa colher informações sobre o mercado e sobre as empresas de capital aberto, em cujas ações você pode investir.

Como em tudo na vida, você pode utilizar vários parâmetros de análise, principalmente levando em conta o seu perfil de investidor. Uma possibilidade é analisar uma empresa individualmente para você ver se vale a pena investir nela. Você pode analisar um conjunto de empresas para compor uma carteira de ações variada, de modo a fazer uma gestão de risco do seu investimento.

O índice Ibovespa é um indicador global. Como você já observou, a carteira do Ibovespa é composta por ações que representam 85% do valor negociado na B3 em um determinado período.

Sendo assim, esse índice oferece um bom panorama do mercado de ações. Você pode fazer uma análise histórica do desempenho da carteira imaginária e, com base nela, avaliar se vale a pena investir na bolsa naquele momento.

O melhor cenário para o investidor em ações é quando o índice apresenta crescimento regular e consistente ao longo de um extenso período.

Por que isso?

Porque um crescimento regular e consistente indica crescimento da economia, enquanto movimentos abruptos do índice Ibovespa nada mais são do que o reflexo de movimentos especulativos.

Vamos aprofundar um pouco mais esse tema mais à frente, porque ele é vital para você ter segurança na hora de investir e qualificar seus investimentos.

É possível investir no índice Ibovespa?

O índice Ibovespa não é apenas um indicador. Você até poderia compor sua carteira espelhando a do Ibovespa. Seria um trabalho árduo e que teria que ser revisto a cada quatro meses, quando a composição da carteira sofre adequações.

Além disso, se o índice Ibovespa está com cotação de 80 mil pontos, isso significa que você teria que ter pelo menos R$ 80 mil para investir, uma vez que, como já mostramos, cada ponto equivale a 1 real.

Entretanto, existe um modo de você investir no Ibovespa sem precisar se importar com esses obstáculos. Você já ouviu falar em fundos de investimento? Pois a lógica dos fundos de investimento é exatamente compor uma carteira que tenha atributos capazes de gerar para os investidores uma boa rentabilidade, com gestão de risco e boa margem de segurança.

É bem verdade que cada gestor de fundo tem um perfil, que pode ser mais ou menos agressivo. O Ibovespa mesmo não é o único índice da B3. Na verdade, há vários deles, cada um com um perfil diferente, na composição da carteira.

Imagine, portanto, que um fundo de investimentos compusesse uma carteira espelhando o índice Bovespa. Pois isso existe. Trata-se do BOVA11, uma carteira negociada na bolsa que espelha o índice Bovespa.

O BOVA11 é um ETF (Exchange Traded Fund). Você pode investir no BOVA11 comprando uma cota dessa carteira, que vai replicar os resultados apresentados pelo índice Ibovespa.

E vale a pena investir?

Como já foi dito, dividir seus investimentos em ações por várias empresas é uma forma de fazer a gestão do risco. Independente do seu perfil de investidor, você nunca sabe quando uma ação sofrerá uma queda abrupta. Ao compor uma carteira variada, existe a possibilidade de você equilibrar as perdas de umas com os ganhos de outras.

Essa, como falei, é a lógica dos fundos de investimento. Como o BOVA11 é um fundo de investimento, podemos concluir que a lógica é essa, mas não é bem assim.

Um fundo de investimento é composto com base na análise do potencial de rentabilidade e grau de risco de diversos investimentos. Um fundo comum tem um perfil bem delineado, podendo ser mais agressivo ou mais conservador. Você define em que fundo vai investir a partir do alinhamento entre o seu perfil e o do gestor da carteira, correto?

Podemos dizer que essas características estão presentes no BOVA11? Definitivamente, não. Estamos falando de um pacote que conta com ações de mais de 60 empresas diferentes. O critério para a montagem dessa carteira é que ela reflita as perspectivas do mercado de ações no curto, médio e longo prazo.

É evidente que se as perspectivas para o mercado de ações, de um modo geral, são boas, podemos dizer que investir no BOVA11 é interessante, porque ele inevitavelmente refletirá essas perspectivas na sua rentabilidade.

Quando o perfil de investimento é de longo prazo é preciso que você vá além do noticiário econômico para decidir se vale ou não a pena investir no BOVA11 ou em qualquer outra ação. Você precisa avaliar quais são os movimentos do índice Ibovespa nos últimos anos e quais as perspectivas para a economia brasileira e até mundial.

Está lembrado de que nós afirmamos que uma curva regularmente ascendente por um longo período significa uma economia com vitalidade, que beneficia toda a cadeia econômica local, gerando lucros, dividendos e atraindo investidores? Se o Ibovespa reflete a economia e o ciclo é virtuoso, vale a pena, mas, como o futuro não necessariamente repete o passado, é preciso cercar-se de outras informações, que apontem os cenários futuros.

O mais recomendável é que você, para aumentar sua possibilidade de lucro com os investimentos, estude criteriosamente a situação de cada empresa em que vai investir. Essa companhia tem liquidez? Tem perspectivas de crescimento? O setor em que ela atua está em expansão? Essa expansão é sustentável no longo prazo?

Essas são algumas das perguntas que você deve fazer. É mais trabalhoso, mas a perspectivas de grandes resultados é maior. Como costumo dizer, nada lhe trará mais resultados nos investimentos a longo prazo do que assumir o controle das suas próprias decisões e aprender a avaliar empresas com base nos seus fundamentos econômicos.

O que são ações small caps?

Você já deve ter ouvido muito falar em ações small caps e, muito provavelmente, deve associá-las a um maior risco, o que não deixa, em tese, de ser verdade.

Isso acontece porque, por serem ações de empresas menores e com baixa liquidez, estão sujeitas a movimentos bruscos e ondas especulativas.

Por outro lado, as ações small caps são vistas como aquelas com maior potencial de combinar volume e rapidez. Em outras palavras, os investidores enxergam a oportunidade de obter alta rentabilidade em pouco tempo.

Vale a pena investir em ações small caps?

Essa é uma pergunta para a qual não há uma resposta objetiva. Não é possível responder com um “sim” ou um “não”.

Tudo começa pelo seu perfil de investidor. Embora possamos reconhecer que investir em small caps é mais arriscado que em blue chips, mesmo entre as ações small caps há diferenças abissais no que diz respeito ao perfil do investimento.

Small caps

Para ilustrar essa situação, iremos utilizar um exemplo, o Banco Inter, BIDI4, teve uma valorização de 103% no ano de 2019 até o mês de junho. Na primeira semana de julho de 2019, obteve uma valorização de 27,9%. Seria a hora de embarcar nessa viagem?

Parece-lhe um investimento confiável?

Consistência no crescimento é indicador de bom investimento

Ao confrontar esses dois valores, confiabilidade e rentabilidade, encontraremos diversos perfis de investidores. A BIDI4 parece manter uma trajetória consistente e confiável, além de se mostrar altamente rentável. Não é todo dia que você dobra o capital investido em apenas seis meses.

Além disso, o movimento de crescimento do Banco Inter é constante há muito tempo. A fintech abriu capital na Bovespa em abril de 2018. Um ano depois, as ações haviam valorizado 246%. No mesmo período, a empresa teve um crescimento em sua carteira de clientes de 536 mil para dois milhões de correntistas. O número de investidores por meio da plataforma de investimentos do banco também teve um crescimento de 238%.

Não há qualquer dúvida de que estamos diante de uma das marcas mais em evidência da atualidade, seja em razão do bom trabalho de branding, seja em função do noticiário positivo, seja pelos elogios feitos pelos consumidores ao serviço prestado pelo banco. Além disso, está num setor em franca expansão no país, que está longe de encontrar seu teto e os números de crescimento são bastante consistentes.

Estamos, aparentemente, diante de uma opção revestida de um bom grau de segurança, isso parece óbvio. Afinal de contas, investir em ações só faz sentido se estivermos falando de empresas com potencial de crescimento.

Por outro lado, é preciso tomar cuidado com algumas ondas. A valorização de 27,9% da primeira semana de julho está relacionada a uma notícia ligada aos planos de governança da instituição. A direção do Banco Inter anunciou que porá em prática um plano para elevar suas regras de governança para o Nível 2 da B3. Além disso, fará uma reorganização da estrutura societária da empresa por meio de um desdobramento de ações, com programa de unitização.

O que significa alcançar o Nivel 2? Em síntese, significa construir uma estrutura mais sólida, baseada numa operação mais previsível, com melhor gestão de processo e melhores mecanismos de controle. Em outras palavras, significa ter uma trajetória ainda mais consistente e, com isso, ser mais atraente e confiável para os investidores.

Percebe que, nesse caso, a corrida às ações do branco gerou uma onda, antecipando uma valorização que viria naturalmente com a adoção das medidas de governança? É bem provável, portanto, que em algum momento muitos investidores queiram realizar seus lucros e as ações do banco sofram uma queda.

Caso, no entanto, a sua visão seja de longo prazo, a de se tornar sócio da empresa, a perspectiva de crescimento do Banco Inter no longo prazo é muito boa. Vale a pena investir. Podemos, inclusive, dizer que vale mais a pena investir nesta ação Small Cap do que em muitas Blue Chips.

O que devemos levar em conta na hora de investir é qual a perspectiva de crescimento consistente. É preciso olhar para o passado e perceber qual a trajetória de crescimento da ação. É preciso olhar para o futuro e saber quais são os planos da empresa. É preciso olhar os planos da empresa e perceber se eles são viáveis, se vão ajudar você a multiplicar seu capital.

Small Caps e maior potencial de ganho

Neste caso, é preciso desviar os olhos da ciranda da Bolsa de Valores e focar no longo prazo. As small caps são a melhor opção para quem busca maiores ganhos em menos tempo.

Caso você queira aumentar o potencial de ganhos, pode combinar ações blue chips com small caps em sua carteira, mas sem abrir mão de fazer uma análise realista e aprofundada do potencial de cada empresa. Lembre-se, sempre, de que por trás das ações está uma empresa. É o comportamento dessa empresa que garantirá a rentabilidade das suas ações no longo prazo e não os movimentos especulativos do mercado.

O SMLL

No ano de 2017, o índice SMLL, ou Índice Small Cap, foi a aplicação com maior rentabilidade. Isso significa dizer que o ganho médio do investidor em small caps foi de 49,37%. Em segundo lugar ficou o Ibovespa, com 26,86%.

SMLL

Não é difícil perceber que os investidores em small caps tiveram rentabilidade quase 100% superior aos demais índices. Isso não quer dizer que todas as empresas do SMLL sejam excelentes opções de investimento. A AMAR3, Lojas Marisa, sofreu uma desvalorização de 79% entre abril de 2013 e abril de 2018. A Alpargatas, no mesmo período, obteve, em compensação, valorização de 30%. A proprietária das “Havaianas” demonstra crescimento sólido e bons fundamentos para lastrear sua expansão nos próximos anos.

Para encerrar, vamos mostrar para você a lista das ações que fazem parte do índice SMLL. Uma ou algumas delas podem ser a porta entreaberta para você alcançar excelentes ganhos.

ABCB4 ABC BRASIL
ALPA4 ALPARGATAS
ALSC3 ALIANSCE
ALUP11 ALUPAR
AMAR3 LOJAS MARISA
ANIM3 ANIMA
ARZZ3 AREZZO CO
AZUL4 AZUL
BEEF3 MINERVA
BIDI4 BANCO INTER
BKBR3 BK BRASIL
BRAP4 BRADESPAR
BRML3 BR MALLS PAR
BRPR3 BR PROPERT
BRSR6 BANRISUL
CAML3 CAMIL
CESP6 CESP
CPLE6 COPEL
CSMG3 COPASA
CVCB3 CVC BRASIL
CYRE3 CYRELA REALT
DIRR3 DIRECIONAL
DTEX3 DURATEX
ECOR3 ECORODOVIAS
ENAT3 ENAUTA PART
ENBR3 ENERGIAS BR
ENEV3 ENEVA
ESTC3 ESTACIO PART
EVEN3 EVEN
EZTC3 EZTEC
FESA4 FERBASA
FJTA4 FORJA TAURUS
FLRY3 FLEURY
GFSA3 GAFISA
GOAU4 GERDAU MET
GOLL4 GOL
GRND3 GRENDENE
GUAR3 GUARARAPES
HGTX3 CIA HERING
IGTA3 IGUATEMI
LCAM3 LOCAMERICA
LEVE3 METAL LEVE
LIGT3 LIGHT S/A
LINX3 LINX
LOGG3 LOG COM PROP
MEAL3 IMC S/A
MOVI3 MOVIDA
MRFG3 MARFRIG
MRVE3 MRV
MULT3 MULTIPLAN
MYPK3 IOCHP-MAXION
ODPV3 ODONTOPREV
PARD3 IHPARDINI
POMO4 MARCOPOLO
PRIO3 PETRORIO
QUAL3 QUALICORP
RAPT4 RANDON PART
SAPR11 SANEPAR
SAPR4 SANEPAR
SEER3 SER EDUCA
SLCE3 SLC AGRICOLA
SMLS3 SMILES
SMTO3 SAO MARTINHO
STBP3 SANTOS BRP
TAEE11 TAESA
TEND3 TENDA
TGMA3 TEGMA
TIET11 AES TIETE E
TOTS3 TOTVS
TUPY3 TUPY
UNIP6 UNIPAR
VLID3 VALID
VULC3 VULCABRAS
VVAR3 VIAVAREJO
WIZS3 WIZ S.A.

Quais as maiores pagadoras de dividendos da Bovespa?

Maiores pagadora de dividendos da bovespa

Você sabe quem são as maiores pagadoras de dividendos da Bovespa?

Confira a lista das 12 maiores pagadoras de dividendos de 2018

– Eztec (EXTC3) …………………………… 16,27%;

– Transmissão Paulista (TRPL4) ……… 10,50%

– Braskem (BRKM5) ………………………..8,42%

– Copasa (CSMG3)…………………………. 7,47%

– Multiplus (MPLU3)………………………… 7,14%

– Engie Brasil (EGE3)……………………….6,90%

– BB Seguridade (BBSE3) ………………..6,36%

– Cemig (CMIG4)……………………………..5,87%

– Ecorodovias (ECOR3)…………………….5,67%

– Bradespar …………………………………….5,57%

Muitas dessas empresas pagam dividendos impressionantes se considerarmos a média do mercado, mas será que vale realmente a pena investir em uma empresa por causa de seus altos dividendos?

Para discutirmos essa questão, primeiro precisamos entender o que são dividendos.

 

O que são dividendos?

O primeiro passo para nós entendermos se vale a pena investir nessas empresas é saber o que são dividendos.

Primeiramente, as empresas que atuam na Bolsa de Valores são aquelas de capital aberto, as S/A. Ao abrir o capital, essas empresas, como você já sabe, buscam se capitalizar para realizar novos investimentos ou pagar dívidas.

A vantagem de abrir capital em relação a tomar empréstimos bancários é bastante evidente. Quando uma empresa toma empréstimo bancário, ela está contraindo uma obrigação junto à instituição financeira, que inclui pagamento das parcelas com juros. O único risco assumido pela instituição financeira é aquele inerente a qualquer operação de crédito, qual seja a inadimplência.

Quando abre capital e vende ações ao mercado, a empresa obtém capital dos investidores. A diferença é que esses investidores assumem os riscos junto com as empresas. Em compensação, eles lucram com a valorização das ações da companhia e com os dividendos pagos pela mesma.

dividendos

Os dividendos nada mais são do que uma participação sobre o lucro apurado pela empresa, já descontado o IR. No Brasil, a legislação obriga as empresas a pagar em dividendos 25% do lucro obtido no período de apuração, que pode ser anual, semestral, trimestral e, em alguns casos, até mensal.

A boa notícia é que os dividendos não são tributáveis. Aliás, sabemos que o lucro no Brasil não é tributável. Qual a óbvia vantagem nisso? Caso tenha R$ 1000,00 aplicados em EXTC3, a primeira ação daquela lista que apresentamos mais acima, que pagou 16,27% em dividendos sobre a valor da ação, você, depois de um ano, teria R$ 162,70. Isso, claro, sem contar com a valorização da ação no Bovespa no mesmo período.

Para você ter uma ideia, as aplicações mais conservadoras patinam em 2019 em previsões que não chegam aos 7% em rentabilidade. A MPLU3, só em dividendos, pagou mais de 7% sobre o valor das ações, já descontado o IR, que é igual a zero.

Vale ressaltar, ainda, que 25% é o patamar mínimo estabelecido para o pagamento de dividendos. Você deve estar atento, antes de comprar seu lote de ações, ao percentual de dividendos pago pela empresa.

Por que investir (ou não) em empresas que pagam altos dividendos?

Diante de tudo que você leu até aqui, parece não haver dúvidas de que é um ótimo negócio investir em empresas que pagam altos dividendos.

Identificar quanto uma determinada empresa do Bovespa pagou em dividendos nos últimos 12 meses é apenas um ponto de partida. É preciso ampliar essa lente e fazer uma investigação dos últimos três anos.

Sabemos que o dividendo, ao contrário da ação, em si, é diretamente relacionado ao lucro da empresa. Em muitos casos, entretanto,  o lucro obtido em determinado período pode ser proveniente da liquidação de ativos e não do desempenho da atividade econômica habitual da empresa. Vejam a Petrobras. A empresa vem obtendo lucro, mas se desfazendo de ativos, o que gera receitas extraordinárias, que são aquelas que não estão ligadas diretamente à operação, ao core business da empresa. Cessando a liquidação de ativos, o que será feito para manter o lucro?

Isso nos leva a uma questão que o investidor precisa encarar, que é buscar informações de caráter financeiro, econômico e estratégico relacionados a cada empresa em que pretende investir.

Se não, vejamos, uma empresa que obteve lucro nos últimos três anos e pagou dividendos de 30% sobre o valor das ações parece uma boa opção para investir. Depois de uma investigação, você constatou que o lucro está todo relacionado à operação da empresa, que ela atua num mercado em expansão, pouco sujeito a influências macroeconômicas. Além disso, as ações, no mesmo período, tiveram uma valorização de 40%.

Agora, então, você já pode investir, pois esse papel parece perfeito para você investir seu capital sem sustos. Ou não?

Quase!

Por que?

Porque se a ação está valorizando e pagando dividendos altos, é natural que os investidores migrem para a ação em questão. Nesse caso, é preciso investigar se o aumento do valor da ação não antecipou a rentabilidade, sem que houvesse fatos, dados e fundamentos econômicos reais para substanciar aquele aumento.

Isso é muito comum de acontecer no mercado de ações. Ao contrário dos dividendos, o valor das ações segue muito mais a percepção que o mercado tem de determinada empresa. De acordo com a lei de mercado, quanto maior a procura por um produto, mais valorizado ele estará, o que se refletirá em seu preço. Com as ações não é diferente. É o que pode levar a uma supervalorização.

Quando isso acontece, mais dia, menos dia, as ações vão sofrer um ajuste para baixo. É preciso tomar cuidado com isso, pois você pode perder boa parte do dinheiro ganho com a valorização da ação e com os dividendos.

Enfim, o que queremos mostrar é que o movimento de valorização ou desvalorização das ações segue uma lógica diferente dos dividendos. Os dividendos estão relacionados, única e exclusivamente, com o mundo real, com o lucro real das empresas. A variação no preço das ações relaciona-se com esse mundo real, mas também com o mundo das percepções do mercado, com as ondas especulativas e velhos fantasmas que assustam os investidores, gerando ondas de incertezas e prejuízos que nem sempre são reais. Em muitos casos, inclusive, pode ocorrer o que chamamos de um efeito manada, um evento em massa de investidores no mercado em uma ou outra direção mas que não possui fundamento real algum por trás.

Em outras palavras, o que queremos mostrar é que nem sempre valerá a pena investir nas maiores pagadoras de dividendos do Bovespa, pois além dos fatores citados acima, é importante notar que se uma empresa distribui uma quantia de dividendos muito alta isso significa que ela possui menos capital para reinvestimentos, o que pode vir a prejudicar a rentabilidade a longo prazo.

Nesse sentido, empresas podem pagar altos percentuais em dividendos para atrair investidores, mas é preciso saber até onde vai o potencial de crescimento dessas empresas, sobretudo se você está pensando em investir no longo prazo, tornando-se, verdadeiramente, um sócio das mesmas, assumindo os riscos e dividindo o lucro.

Bovespa: Como funciona a Bolsa de valores brasileira

Bovespa

A Bovespa é a Bolsa de Valores do Brasil. Na verdade, referimo-nos à BM&F Bovespa, produto da união entre a Bovespa (Bolsa de São Paulo) e a BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuro).

Essa união entre Bovespa e BM&F tem em sua constituição a incorporação de todas as outras Bolsas do Brasil, inclusive a do Rio de Janeiro, que foi pioneira no mercado de ações em solo brasileiro.

Feitas as devidas apresentações, vamos falar um pouco sobre o que é a Bovespa, o mercado de ações e como funciona essa engrenagem.

Bovespa

 

O que é a Bovespa

A Bolsa de Valores de São Paulo, ou Bovespa,  é uma estrutura erguida para possibilitar as negociações de ações entre empresas e investidores.

As ações são pequenas partes de uma empresa que são negociadas na Bolsa. O propósito da abertura de capital é captar recursos para que a empresa possa financiar seus projetos.

Quando compra uma ação, o investidor está ajudando a empresa a financiar seus projetos, esperando, com isso, que ela consiga obter expansão de seus negócios, aumentando seu valor de mercado. Quando isso acontece, o valor da ação cresce e o investidor ganha dinheiro.

A vantagem para as empresas de capital aberto é que elas podem captar recursos financeiros junto aos investidores, que dividirão com elas os riscos. Caso não haja crescimento ou caso haja perdas, elas são compartilhadas pela empresa e pelos investidores.

Ao buscar os mesmos recursos junto aos bancos, as empresas contraem uma dívida, que precisa ser paga com juros. Ao abrir capital na Bolsa de Valores, essas empresas só remuneram o dinheiro caso obtenham sucesso e vejam aumentar seu valor de mercado.

Além disso, as empresas são obrigadas, pela legislação atual, a pagar o mínimo de 25% de dividendos aos investidores em cima do lucro apurado do exercício. Esse exercício pode ser anual, semestral, trimestral ou até mensal. Depende da política da empresa, que pode, inclusive, oferecer uma parcela maior dos lucros aos acionistas para atrair mais investidores.

Do ponto de vista do investidor, em que pese os riscos, aplicar o capital, ou parte dele, em ações é uma forma de tentar obter altos ganhos. Em tempos de taxa Selic rebaixada e inflação controlada os investimentos conservadores tendem a ter rentabilidade inexpressiva, sobretudo para quem investe pouco dinheiro. A Bovespa é a grande oportunidade para maximizar ganhos.

Nos últimos anos, tem crescido o número de investidores no Brasil. É um comportamento que vai se incorporando à cultura do brasileiro. O acesso maior à informações pela internet, assim como a serviços de corretagem online tem forte influência nessa mudança de postura.

A informação quebra os preconceitos e, com isso, elimina receios acerca dos investimentos, sobretudo a Bolsa de Valores. Aos poucos, as pessoas percebem que o mercado de ações é para todos, inclusive aqueles que têm pouco dinheiro para investir.

 

Como funciona o Bovespa?

Parte do preconceito e da rejeição à Bolsa de Valores está relacionada à imagem padrão que as pessoas recebiam de um pregão. Quem é um pouco das antigas sabe que em tempos já um tanto quanto remotos o pregão da Bolsa era aquele lugar em que todas as pessoas falavam ao mesmo tempo. Quem via tudo aquilo ficaria espantado se soubesse que aqueles operadores ensandecidos estavam movimentando milhões e milhões em ações. Sendo que o mais inacreditável é que eles se entendiam.

Essa imagem há muito ficou no passado. Nos dias atuais, não só a Bovespa, mas toda a cadeia de investimentos financeiros é um grande sistema que integra empresas, corretoras e acionistas.

Explicando de uma forma bem simples, quando você decide aprender como investir em ações, o primeiro passo a dar é inscrever-se em uma corretora de valores credenciada junto a Bovespa.

O segundo passo é você acessar um mecanismo chamado home broker. O home broker é a ferramenta que substitui todo aquele cenário caótico do passado. Tudo que as pessoas faziam aos gritos, agora elas fazem com cliques.

Por meio do home broker, você consegue visualizar todo o mercado de ações e outros investimentos administrados pelo BM&F Bovespa. Além da oferta de investimentos, você pode também controlar sua carteira, enviar ordens de compra e venda para a corretora.

A corretora intermedeia as suas operações junto ao Bovespa. Todo esse processo é muito rápido e leva apenas segundos, pois ocorre de forma praticamente automática. Quando você envia uma ordem à corretora, automaticamente essa ordem é repassada ao Bovespa.

A ordem pode ser de compra ou venda. Investidores compram ações esperando que elas se valorizem. Ao mesmo tempo, as vendem, seja para realizar lucros, desfazer posições que consideram ruins ou porque precisam mesmo resgatar o dinheiro para alguma necessidade.

A sua ordem de compra ou venda precisa encontrar uma ordem inversa no mesmo valor. Quando isso acontece, o Bovespa realiza a operação e repassa à corretora. Tudo isso acontece em segundos. Ou seu dinheiro vira ações ou suas ações viram dinheiro.

Além de ações, você pode negociar no BM&F Bovespa opções de ações, contratos futuros de commodities, de índices e de moedas.

 

Qual o horário de funcionamento da Bovespa?

Basicamente, o pregão funciona das 10:00 às 17:00. Tem também os horários de Pré Abertura, Call de Fechamento e After Market.

Vamos começar pelo final. O After Market, no caso das ações, funciona das 17:30 às 18:00. É uma oportunidade extra para quem não conseguiu fazer suas operações durante o pregão.

Ibovespa

O Call de Fechamento tem duração de cinco minutos, entre 16:55 e 17:00. Nesse período, são aceitas apenas intenções de compra e venda que sevem para formar o preço de fechamento.

A Pré-Abertura tem como finalidade determinar o preço de abertura das ações. As ordens são executadas tão logo ocorra abertura do mercado de ações.

 

 

IBOVESPA – O índice das principais ações na Bovespa

O índice Bovespa é um indicador de desempenho do mercado de ações. Não é o único, porém o mais importante.

Compõem a carteira do índice Bovespa as ações mais negociadas na Bolsa de Valores, que respondem pelo maior volume investido. Por isso, o índice Bovespa é um indicador eficiente do desempenho de toda a Bolsa de Valores.

É possível, também, investir no Índice Bovespa, mas é preciso adquirir contratos futuros, por meio do Mercado Futuro.

Há uma série de outros índices, que servem para mostrar ao mercado o desempenho setorial ou por nicho de ações. Um exemplo é o SMLL, composto pelas empresas de menor capitalização no Bovespa, também conhecidas como Small Caps.

Todos esses índices são compostos por uma carteira imaginária, que tem um desempenho real. O desempenho histórico desse item é um indicador que ajuda os investidores a tomar decisões sobre investir ou não nas Small Caps.