Como funciona o rendimento de criptomoedas?

Um fato bastante interessante do mundo moderno das finanças é que você pode facilmente fazer o seu dinheiro trabalhar para você.

Desde a ineficaz poupança, até mesmo o melhor dos rendimentos em tesouro direto, a grande verdade é que você pode simplesmente aplicar seu dinheiro em algum lugar e ver ele se multiplicar.

Claro, o ideal é que essa multiplicação seja sempre maior do que a inflação, de outra forma seria realmente impossível ter algum lucro.

Então, hoje queremos mostrar que isto é possível também com criptomoedas. Basta aplicar umas duas estratégias básicas que têm sido a principal diretriz de muitos dos investidores do mercado.

Vamos conferir?

Como funciona o rendimento de criptomoedas?

Como funciona o rendimento de criptomoedas

Primeiramente é importante dizer que existem sim riscos neste tipo de pensamento. Criptomoedas são antes de mais nada um ativo de alto risco, por isso, elas não são por si só um esquema certeiro de valorização ou não.

Muitas pessoas utilizam a ideia de que você pode ganhar dinheiro em Bitcoin rendendo verdadeiras fortunas por mês. Mas a grande verdade aqui é que não existem milagres, promessas absurdas quase que com certeza significarão um golpe.

E constantemente são encontrados verdadeiros “gurus” que não são nada menos do que praticantes de esquemas Ponzi.

Por isso, os dois jeitos mais aceitáveis e corretos de rendimento com criptomoedas são os que vamos listar a seguir:

 

1 – Staking

Algumas moedas não utilizam somente o sistema de PoW na sua mineração. Não é só resolver um enigma matemático para fechar um bloco na blockchain e minerar a sua parte.

O esquema de PoS (Proof-of-Stake) serve para utilizar a boa fé do minerador à favor dele. Neste esquema a pessoa passa a colocar suas próprias moedas em risco – que ficam em Staking na rede em questão – para garantir um trabalho de boa fé ao validar as transações da rede.

Afinal de contas, cometer propositalmente erros de validação nesse caso pode fazer com que o validador perca as suas criptos em staking. Por isso, nesse método de validação, quanto mais é posto em staking na rede, mais motivos a blockchain terá para levar a sério o trabalho daquele validador, aumentando sua pontuação de confiabilidade.

Sendo assim, quanto maior é o número de moedas que você deixa em staking, maiores as suas recompensas e maiores as chances de ser escolhido primeiro para solucionar um bloco. Tudo para garantir um compromisso de integridade com a rede.

Ou seja, quem usa suas moedas para deixar em staking acaba ganhando um “rendimento”, e com isso sua mineração ficará muito mais eficiente, já que não dependerá de investimento em hardwares e conhecimento técnico para configuração como no caso do Proof-of-work.

Esse rendimento em geral fica em torno de 6-10%, mas em algumas altcoins pode chegar a 20% ou mais.

 

2 – Compra e venda

Este é outro meio bastante clássico que vemos com todos que gostam de viver de ativos. A compra e venda se baseia na ideia de comprar enquanto está em baixa e vender quando se está em alta.

Muitas pessoas tentaram ao longo do tempo criar teorias e fórmulas para prever as mudanças do mercado. Mas embora tenha havido muito progresso, ainda temos algumas incógnitas.

Por isso, vale a pena pensar em estudar a moeda, sua filosofia, seu valor em dinheiro já presente no mercado e outros fundamentos para alcançar o maior potencial possível.

Até a próxima dica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.