Entenda a quebra da FTX!

No mundo cripto costumamos ter movimentos bastante turbulentos e inesperados. Principalmente quando assunto tem a ver com algum tipo de valorização abrupta, ou seu contrário.

Entretanto, algo que também costuma ser comum, infelizmente, são escândalos com casos de golpes e problemas semelhantes que vemos por aí. É até mesmo rotineiro ver gurus e pessoas do mercado tentando emplacar alguma empresa que na verdade age de má fé.

Recentemente todas as criptomoedas acabaram sofrendo um baque, que acabou por gerar uma queda grave até mesmo no Bitcoin. Este caso foi a quebra da FTX, que era uma das maiores corretoras de criptomoedas do mercado.

Hoje queremos explicar um pouco mais sobre este caso e como ele se aplica à sua realidade.

Vamos conferir?

FTX

Entenda a quebra da FTX

Antes de mais nada é importante entender que o caso da FTX não se trata apenas de uma quebra comum por falta de capital. Embora o caso inteiro ainda esteja em investigação, a grande verdade é que tudo aponta para uma grande fraude financeira.

Neste caso, é importante entender que a FTX se trata de uma corretora de criptomoedas comum, igual a qualquer outra que você pode encontrar no mercado por aí. Mas diferente da maioria ela não tinha as contas feitas de maneira muito honesta.

O que aconteceu é que em seu protocolo ela emitia um token chamado de FTT, que ela mesmo desenvolveu, emitia e mantinha. Este token era necessário para se fazer transações dentro da plataforma, ou seja, quanto maior a procura por seus serviços, maior seu valor.

Entretanto, o primeiro problema ocorria em uma espécie de impressão descontrolada e inflacionária que dificultava todo o processo.

Além disso, é importante notar que o token em si tinha um valor muito volátil e instável. E a própria corretora, além de sua empresa irmã, do mesmo dono Sam Bankman Fried, tinham muitas dívidas para se manter funcionando.

Sam Bankman Fried
Sam Bankman fried, o infâme “gênio” das criptomoedas

Entretanto, descobriam que o valor colateral dado em garantia para estas dívidas acabaram sendo os próprios tokens dos usuários da corretora, que os deixavam lá em confiança ao invés de enviar para uma carteira privada.

Então, com o burburinho tomando cada vez mais corpo no mercado, além do anúncio da binance de que iria se desfazer de todos os seus tokens FTT, o mesmo colapsou e todos que tinham ativos na corretora resolveram fazer saques e acabaram por ver que não havia liquidez para fazer a retirada. Quanto pior a situação ficava, mais pessoas corriam para tentar sacar seus valores, tudo de modo infrutífero.

Claro, a maioria das pessoas não conseguiram retirar o valor que tinham depositado e a assim a empresa pediu falência. Entretanto, o próprio sistema em seguida sofreu um ataque hacker limpando todos os ativos que estavam na plataforma, o que pareceu para alguns ter sido uma desculpa conveniente.

Tudo gerou uma onda de falta de credibilidade em projetos semelhantes e sócios da empresa.

 

Considerações finais

Como você pode ver, o caso da quebra da FTX está envolto em uma situação muito complicada que nos leva à importância de fazer o dever de casa e recorrer às boas práticas do mercado.

Principalmente o fato de que você deve deixar suas criptos dentro da sua carteira para garantir a segurança dos seus ativos.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.