Gestão de risco: O que é, como fazer e por quê ela é tão importante

Investir na bolsa de valores talvez seja uma das atividades nas quais exista a maior discrepância entre a prática e a ideia que as pessoas fazem dela. Nesse sentido, é comum que alguém que nunca tenha investido na bolsa ou mesmo iniciantes no mercado tenham a ideia de que a bolsa de valores é um reino de oportunidades financeiras fantásticas, onde é possível ganhar quantidades imensuráveis de dinheiro em um curto período de tempo.

 

É claro que após algum tempo investindo na prática essa visão começa a mudar a medida em que o investidor é obrigado a encarar a realidade do mercado. Entretanto, mesmo após esse estágio inicial é relativamente comum que ainda haja um erro de perspectiva sobre o investimento bem sucedido na bolsa de valores. Isso porque mesmo embora o investidor nessa estágio não alimente mais expectativas irreais, ele continua tendo como foco principal ganhar dinheiro na bolsa de valores. Sim, você leu certo, não é ideal que o seu foco principal na bolsa de valores seja ganhar dinheiro.

 

Na verdade, para o sucesso a longo prazo e consistência nos ganhos como investidor, o ideal é que você foque prioritariamente em proteger o seu capital e evitar perder dinheiro. Se estivermos falando do mercado de criptomoedas, então, esse princípio se torna ainda mais válido, tendo em vista que a altíssima volatilidade desse mercado tem o potencial para derrubar mesmo investidores experientes de uma hora para outra sem a estratégia adequada.

 

Isso pode parecer paradoxal em um primeiro momento, mas nesse artigo eu vou explicar porquê a gestão de risco financeiro é a parte mais importante da sua estratégia de investimento e até mostrar alguns exemplos de como você pode gerir o risco de perda de capital ao investir na bolsa

 

A invencibilidade esta na defesa

Gestão de risco financeiro

A Invencibilidade esta na defesa; a possibilidade de vitória, no ataque. Quem se defende mostra que sua força é inadequada; quem ataca, mostra que ela é abundante” – SUN TZU

 

Será que um texto de estratégia militar de 2.500 anos atrás pode nos ensinar algo sobre investimentos? Pelo visto, sim. Essencialmente, o que podemos aprender com esse trecho do lendário general Sun Tzu é que a defesa é uma certeza; o ataque, um risco. Porém, sem o ataque você também não obterá o que você quer.

 

Aplicando essas mesmas ideias no campo de batalha do mercado de ações, podemos dizer que sempre que você compra uma ação, irá correr um risco, risco esse necessário para que você obtenha resultados. Entretanto, sem a defesa adequada você jamais atingirá a invencibilidade que te permitirá continuar investindo a longo prazo, sem jamais ser derrubado pelo mercado de forma definitiva e realizando ganhos ano após ano. A invencibilidade no mercado de ações esta na gestão de risco.

 

              Sem a gestão de risco você jamais terá a durabilidade para investir consistentemente no mercado, não importa o quão bom você seja em tomar boas decisões de investimento. O ponto central aqui é que embora no curto prazo você possa fazer ganhos excepcionais sem se preocupar muito em se proteger contra os riscos, é quase certo que a longo prazo o mercado irá se comportar de modo totalmente aleatório e imprevisível em algum momento e nesses momento você provavelmente irá perder todos os ganhos realizados durante os bons momentos se não souber se proteger contra os riscos.

 

Para entender o porquê disso, basta considerar um exemplo prático. Digamos que você tenha 10 mil reais para investir na bolsa de valores ou em criptomoedas. Após algumas decisões de investimento mal tomadas, ou mesmo condições de mercado imprevisíveis que te façam acumular perdas, você perde metade do seu capital, ficando com apenas 5 mil. Nessa situação, você precisaria obter um retorno de 100% em cima do seu capital apenas para retornar ao estágio anterior, embora tenha sofrido uma perda de apenas 50%.

 

Imagine agora que você sofra uma perda de 80% do seu capital, ficando com apenas 2 mil reais (Pode parecer loucura, mas isso é totalmente possível, especialmente ao investir em criptomoedas). Nesse caso você teria que obter um retorno de 5x apenas para retornar ao mesmo patamar que você se encontrava antes de se quer começar a investir. O ponto aqui é simples: por mais que você se prepare e fique bom em tomar decisões de investimentos, o mercado continua tendo um fator de incerteza e aleatoriedade e o modo de se defender contra isso não é tentando se tornar o gênio supremo dos investimentos, mas sim aplicando adequadamente uma boa estratégia de gestão de riscos.

A lógica do Cisne negro
A lógica do Cisne Negro

A Aleatoriedade e incerteza do mercado nos obriga a montar estratégias que sejam matematicamente favoráveis a nós. O famoso filósofo, matemático e escritor Nassim Nicholas Taleb explora muito bem esse assunto no seu famoso a Lógica do Cisne Negro e também no Antifrágil, onde ele mostra como as pessoas tendem a se guiar demais pelo passado para tentar prever o futuro, ignorando a aleatoriedade quase completamente e assim sendo pegas de surpresa quando algo realmente inesperado ocorre de uma hora para outra. Quando um evento aleatório assim ocorre no mercado de ações ou, com ainda maior frequência, no mercado de criptomoedas, o resultado pode ser fatal para suas finanças.

Antifrágil Gestão de risco financeiro
Antifrágil

Se você ainda não esta convencido, fique com as palavras de um dos maiores investidores vivos, Warren Buffet, e sua regra número um nos investimentos:

Gestão de risco com warren buffet

“Regra número 1: Nunca perca dinheiro. Regra número 2: nunca esqueça a regra número 1”

 

Gestão de risco na prática

Agora que você já sabe a importância da gestão de risco para o seu sucesso como investidor, vem a grande dúvida: Como aplicar na prática uma boa estratégia de gerenciamento de riscos para seus investimentos.

Antes de falarmos de modo mais prático em algumas estratégias exemplificativas de gestão de risco, é necessário que você entenda que é impossível evitar por completo toda e qualquer perda no mercado de ações. Apesar disso, felizmente você não precisa estar certo o tempo inteiro para ser bem sucedido investindo, apenas estar certo um número maior de vezes do que esta errado e garantir que quando você ganhe, ganhe bastante e quando perca, perca pouco.

Dito isso, o próximo passo é determinar qual é o seu grau de aversão ao risco. Basicamente, podemos dizer que existem 3 espectros nos quais você pode se encaixar:

Gerenciamento de risco mercado financeiro

Investidor conservador – Possui um grau de aversão ao risco alto. Essa aversão possui gradações, mas em geral para o investidor conservador a dor da perda é bastante superior a felicidade dos ganhos obtidos, portanto, o ideal para esse tipo de investidor é minimizar ao máximo as perdas, com uma estratégia de gestão de risco extremamente rígida. Para os que se encontram no espectro mais alto do investidor conservador é recomendável que sequer invistam na bolsa, focando seus investimentos apenas na renda fixa. Sim, os retornos serão bem menores, mas se você realmente é um investidor conservador, esse é o melhor caminho para você, pois provavelmente não aguentará as oscilações do mercado de ações, que dirá criptomoedas.

 

Investidor moderado – Esse perfil possui uma maior maleabilidade no que diz respeito a assunção de risco. Costuma visar o retorno a um prazo mais longo do que o investidor conservador, o que lhe dá maior abertura para lidar com os riscos do mercado.

 

Investidor arrojado – Esse perfil consegue assumir riscos com facilidade e esta focado em obter grandes resultados no mercado a longo prazo. Este perfil é o preferível para investir na bolsa e aqui se faz ainda mais necessário uma boa gestão de riscos de modo a evitar perdas maciças com as oscilações do mercado. Para investir em criptomoedas além do bitcoin com bons resultados, acredito que esse perfil seja indispensável.

 

A ideia central de uma gestão de riscos eficiente é se proteger contra as oscilações do mercado e a melhor maneira de fazer isso é nunca estar exposto a uma única ação ou a uma única criptomoeda ou mesmo classe de ativos. Existe uma série de estratégias de gestão de riscos e conceitos que podem ser aplicados para refinar o gerenciamento de riscos ao investir, mas iremos falar aqui dos pontos centrais para que você possa se proteger contra os riscos do mercado e evitar perdas bruscas e repentinas:

 

A primeira regra é que você jamais fique exposto a um único tipo de ação, diversificando entre um número suficiente de modo a reduzir significativamente o seu risco sem comprometer a atenção que você pode dar a cada ação. Um bom patamar para começar a pensar nisso é dividir o seu capital entre pelo menos 5 ações diferentes, separando 20% do seu capital para cada uma. Assim, ainda que alguma das ações perdesse metade de seu valor você teria perdido apenas 10% de seu capital total. Caso você consiga acompanhar satisfatoriamente um número maior de ações pode dividir entre mais de cinco, diminuindo ainda mais os riscos.

Para os que são completamente iniciantes, pode ser uma boa ideia aplicar essa regra com apenas 10% do seu capital, ou seja, 2% do seu capital total para cada ação e os 90% restantes investidos em renda fixa. Desse modo, ainda que uma das ações perca quase que completamente seu valor, você só perdeu 2% do seu capital total. Essa ideia pode ser interessante para te dar tempo para aprender a se habituar ao mercado correndo um risco muito pequeno, pois o efeito de uma perda considerável logo quando você esta começando a investir pode ser devastador para o seu psicológico e te prejudicar no aprendizado.

Além da diversificação entre ações é importante também diversificar entre os setores. Se você investe em empresas sempre dentro de um mesmo setor econômico, pode até estar protegido contra os riscos peculiares a cada uma das empresas, porém vai continuar suscetível aos riscos do mercado daquele setor.

No caso das criptomoedas, essa estratégia é um pouco diferente. Devido a altíssima volatilidade desse tipo de ativo, é sempre recomendável que você aloque apenas uma pequena parte do seu capital total, digamos apenas 3-5%. Desse montante destinado as criptomoedas, a maior parte deve estar em bitcoin que, por ser a principal criptomoeda do mercado, tende a ser um pouco mais previsível a longo prazo para quem esta disposto a aguentar as oscilações e segurar até o final. Do restante, digamos não mais do que 40%, você poderia alocar em criptomoedas mais alternativas, mas ainda assim dentro do top 20 em capitalização de mercado como ethereum, ada cardano, litecoin, chainlink, etc. Apenas se você tiver um conhecimento realmente aprofundado do mercado de criptomoedas você deveria investir em projetos menores como a Enjin Coin, MANA, etc.

 

 

O Segredo para gerenciar riscos: O Stop Loss

 

A segunda regra da gestão de risco que eu gosto de seguir é limitar de antemão a perda total que você pode ter com uma determinada ação. Para isso, vamos utilizar aquilo que é chamado de STOP LOSS. Basicamente, isso significa programar no seu Home Broker a venda automática de uma ação ou ativo no qual você esteja comprado caso ele tenha um percentual de queda x. Uma boa aplicação disso é ter um stop loss que venda automaticamente ações em queda que comecem a significar uma perda superior a 2% do seu capital total.

stoploss

 

Assim, no exemplo acima da divisão do capital em 5 ações, caso alguma delas caia 10%, o sistema automaticamente a vende. (Pois nesse caso, 10% de 20% representa 2% do seu capital total.) É claro que utilizar um stop loss pode limitar um pouco seus ganhos, pois teoricamente a ação pode sofrer uma queda acima do seu limite e depois subir rapidamente. Apesar disso, o melhor é sempre utilizar o stop loss no longo prazo, pois vai chegar o dia em que a ação descerá 10%, você vai achar que vai recuperar e voltar a subir, e o que acaba ocorrendo é que a perda que era de 10% se torna 20%, depois 30% e quando você se dá conta já perdeu uma fatia considerável do seu capital. É exatamente essa aleatoriedade do mercado que te obriga a criar uma estratégia que te coloque sempre em uma situação vantajosa matematicamente falando, uma na qual o seu upside, caso esteja certo, é alto e o downside, caso esteja errado, é baixo, e a gestão de risco é o meio mais prático e rápido de se fazer isso.

Como você pode perceber nesse momento, a gestão de risco é fundamental. Felizmente, essas duas regras, se seguidas a risca, irão lhe proteger de maneira eficaz contra a maioria dos riscos envolvidos no investimento em bolsa de valores e lhe dar a durabilidade que você precisa para o sucesso a longo prazo para investidor.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *