IVVB11: Uma boa opção de ETF para investir?

IVVB11: Uma boa opção de ETF para investir?
5 (100%) 1 vote

Será que o IVVB11 é uma boa opção de ETF? Para responder a essa pergunta, você terá que fazer um longo exercício de análise. Vamos tentar ajudá-lo com essa tarefa mostrando o que é e como se comporta esse fundo ETF.

Antes, porém, vamos explicar o que é um fundo ETF. Trata-se de um fundo que tenta replicar a carteira de um índice. Os índices são, na verdade, indicadores de desempenho de um conjunto de ativos.

O mais conhecido deles entre os brasileiros é o índice Bovespa, composto pelas ações das empresas de maior liquidez e com maior volume de negociação de ações na B3, a Bolsa brasileira.

Você deve associar o índice Bovespa ao noticiário econômico. Ele é sempre mostrado como indicador econômico, mas o seu papel principal é retratar o desempenho da Bolsa de Valores.

Como as empresas listadas no índice Bovespa representam mais de 80% do volume negociado na B3, as suas variações oferecem um retrato do desempenho da Bolsa como um todo.

Sempre lembrando que a carteira de ações do índice Bovespa é hipotética, logo não é possível investir nela. É para isso, no entanto, que existem os fundos ETF (Exchange Traded Fund). Esses fundos montam uma carteira real que espelha essa carteira hipotética. Por isso que as pessoas dizem que investem no Bovespa.

O resultado é óbvio: se o Bovespa sobe, o BOVA11 valoriza; se o Bovespa cai, o BOVA11 se desvaloriza. O BOVA11 é o fundo de investimento em índice Bovespa.

 

O que é IVVB11?

Agora ficou fácil entender o que é IVVB11. Trata-se de um fundo ETF que permite a você investir em ações das 500 maiores companhias estadunidenses, todas de uma vez. Da mesma forma que o BOVA11 permite que você invista, ao mesmo tempo, em ações de empresas como Banco do Brasil, Ambev, Petrobras e Vale, o IVBB11 permite que você invista, de uma só vez, em ações de empresas como Apple, Microsoft, Facebook, Amazon, Johnson & Johnson e outras gigantes estadunidenses.

ivvb11

Essas gigantes da América do Norte compõem a carteira do índice S&P500, que é a carteira hipotética formada por ações hipotéticas das 500 maiores empresas dos Estados Unidos, sendo o mais abrangente de todos e capaz de retratar de forma mais fidedigna o desempenho do mercado de  ações nos Estados Unidos.

O IVVB11 é comercializado na B3, de forma que você não precisa contratar uma corretora nos Estados Unidos para investir nas empresas locais. Basta você adquirir uma cota do IVVB11.

Qual a vantagem de investir no IVVB11?

Falar em vantagem de investir no IVVB11 é transitar por um terreno pantanoso, mas vamos tentar trilhá-lo da melhor forma.

Podemos dizer, com segurança, que a carteira do S&P500 é formada por empresas sólidas, com alta liquidez, boa administração, bons fundamentos e potencial tanto de valorização, quanto de pagamento de proventos.

Trata-se, afinal, de uma das maiores economias do mundo e pudemos perceber que são empresas que produzem e comercializam produtos com altíssimo valor agregado, com capacidade privilegiada de investimento em pesquisa e desenvolvimento, gerando alto valor para o mercado consumidor.

Só isso já pode parecer suficiente para que o ativo seja recomendado ao investidor brasileiro, sobretudo porque as informações aqui retratadas indicam baixa volatilidade. A questão, no entanto, é que a segurança que venta lá não venta cá, embora os ativos sejam os mesmos.

É que as ações são adquiridas em dólar, mas aqui no Brasil elas são convertidas em reais.Isso pode ser bom ou ruim. Pode ser muito bom, excelente, ruim ou péssimo. Pode, mesmo, ser indiferente. Tudo depende da cotação do dólar no mercado interno.

Em outras palavras, se o dólar é apreciado frente ao real, se o preço do dólar subir, a cotação do IVVB11 também sobe. Caso, no entanto, o dólar caia, o IVVB11 se desvaloriza.

Para você entender como funciona esse mecanismo, vamos voltar a maio de 2014, quando o IVVB11 foi lançado. Na ocasião, o dólar estava cotado a 2,214 (cotação de 16 de maio de 2014). Desde que foi lançado, o IVVB11 teve valorização de 170% aproximadamente. Isso significa que, se você houvesse comprado R$ 1 milhão em cotas do fundo, teria hoje R$ 2,7 milhões.

Há, no entanto, um pequeno problema, que é a baixa liquidez do fundo. É bem provável que você tivesse que abrir mão de parte desse lucro de 170% caso decidisse desfazer suas posições. É que a demanda é baixa por esse tipo de papel e você precisaria dar descontos para conseguir vender todas as suas cotas.

Precisamos, no entanto, exemplificar a questão da relação com o dólar. E você vai entender facilmente se dissermos que o dólar se valorizou aproximadamente 180% no mesmo período, ou seja, entre maio de 2014 e julho de 2019. Em outras palavras, a valorização e os ganhos com o IVVB11 espelham o desempenho do dólar frente ao real.

O que aconteceria se fosse ao contrário? O IVVB11 despencaria proporcionalmente à queda do dólar.

Sendo assim, para investir no IVVB11 você precisa ter fortes indicadores de que o dólar vai se valorizar frente ao real. E a verdade é que nós não temos esses indicadores. Vale salientar que o dólar comercial oscilou nos últimos 365 dias, com o mesmo cenário político e econômico interno, entre R$ 3,64 e R$ 4,10.

Mas tem os proventos…

Também, cruzando os mais diversos indicadores e cenários, não se pode apostar que o dólar emplacará uma trajetória de queda, o que significa dizer que o risco do IVVB11 entrar em trajetória de queda livre é remoto.

Até porque tem os proventos. Sim, o IVVB11 paga proventos. A única diferença é que o dinheiro não vai para a sua conta. Ele é reinvestido no fundo, o que gera rendimento para você, mas decorrente da valorização do capital. Você só vai realizar esse lucro quando desfizer sua posição.

Além disso, como a economia estadunidense vive um bom momento, não é de se esperar que haja abalo que fragilize as empresas do país, exceto pela tal guerra comercial com a China, que tem no setor de tecnologia um dos principais campos de batalha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *