O que é a ICON (ICX)?

A ICON, ou ICX,  é uma criptomoeda que tem como função principal atingir a plena interoperabilidade entre diferentes blockchains. Além disso, a ICON permite a tokenização de contratos, a transferência de ativos tokenizados, armazenamento de ativos digitais, transferências de moeda digital, pagamentos e armazenamento da contabilidade de negócios.

Com esse canivete suíço de funcionalidades, não é de se surpreender que a ICON venha sendo apontada como o novo Ethereum, devido ao seu grande potencial. Vamos ver agora de modo mais aprofundado como essa criptomoeda e sua blockchain funcionam.

 

Como funciona a ICON (ICX)?

 

A principal diferença da ICON para outras criptomoedas é a estrutura de sua blockchain, que é composta por dois tipos de usuários:

P-reps (Abreviação de public representatives ou representantes públicos): São os nós da rede responsáveis por votar nas questões de governança da blockchain como mudanças de regras e novos desenvolvimentos, além de validarem as transações.

 

Citizen Nodes (“Nós cidadãos”): São todos os outros nós da rede. Tem como função permitir aos usuários da rede iniciar transações na blockchain e funcionar como interface para o Dapps desenvolvidos na ICON.

 

O mecanismo de consenso utilizado na blockchain da ICON é o LFT, ou loop fault tolerance, que permite a ICON ser extremamente rápida e escalável, com o potencial de chegar a 9.000 transações por segundo. Além disso, o LFT permite o alcance da finalidade, impedindo que uma transação seja alterada, revertida ou cancelada uma vez que tenha sido completada.

Além disso, outra grande diferença é que a ICON permite que os desenvolvedores que queiram criar projetos na plataforma possam fazer isso através da linguagem de programação Python – uma linguagem cada vez mais popular e com uma infinidade de usos – enquanto na Ethereum é necessário aprender um linguagem específica para a plataforma, a Ethereum, o que obriga o programador a dedicar longas horas ao aprendizado de uma linguagem que tem utilidade limitada apenas ao desenvolvimento na Ethereum, e certamente será um fator de desvantagem da Ethereum frente a ICON ao longo dos próximos anos.

É possível também que os usuários façam o staking de ICX na rede, tendo a chance de poder validar os blocos da ICON – e receber as recompensas por isso – além de ter um retorno de 11.8% ao ano, um dos mais altos entre as criptomoedas que permitem o staking dentro da própria plataforma.

 

ICON 2.0

 

Em outubro de 2020 a ICON lançou a rede de testes Gangam, por meio da qual os desenvolvedores da ICON farão uma série de testes de aprimoramentos e novas funcionalidades até que tudo esteja pronto para o lançamento da ICON 2.0.

A ICON 2.0 será a rede que passará a permitir a interoperabilidade de fato, possibilitando aos usuários que se conectem com diversas outras blockchains como bitcoin (veja: https://magodomercado.com/o-que-e-bitcoin/), ethereum e outras.

Uma das grandes modificações será a criação de um novo algoritimo de consenso para a plataforma, o LFT 2, ainda em desenvolvimento.

 

Onde comprar ICON (ICX)?

A forma mais fácil de comprar ICX é através da Binance, mas também é possível adquirir essa criptomoeda por meio da Huobi, Okex e Upbit.

 

Cotação da ICON (ICX)

Atualmente a cotação da ICON esta em cerca de R$12, depois de ter subido quase 500% a partir de seu preço de R$2.39 no início de janeiro

ICX cotação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *