O que é Terra (LUNA)?

A Terra é uma criptomoeda de origem sul coreana fundada por Daniel Shin e Do kwon em janeiro de 2018. A principal função da Terra é permitir a criação de stablecoins lastreadas em diversos tipos de moedas Fiat por meio de uma plataforma descentralizada.

Terra LUNA

Terra (LUNA): Como funciona?

 

A Terra foi criada utilizando o protocolo SDK da Cosmos, e, assim, como sua blockchain mãe, utiliza o mecanismo de consenso Tendermint para a validação das transações. Como toda blockchain criada pela Cosmos, a Terra possui uma limitação de 100 validadores em sua rede,

Entre as principais Stablecoins já criadas por essa plataforma está a UST, uma stablecoin de dólar. O interessante é que o processo de criação de stablecoins na Terra não envolve moedas fiat. Para você cunhar uma determinada quantia de UST você deve queimar o valor equivalente em dólares em tokens LUNA. Assim, se você quiser criar 10 UST, deveria queimar mais ou menos 1.5 LUNA, pelo seu valor atual de cerca de 6.70 dólares.

A operação inversa também pode ser feita, queimando a stablecoin para receber de volta o valor equivalente em LUNA. Isso abre diversas oportunidades de trade entre a LUNA e as stablecoins do ecossistema Terra, de acordo com os respectivos preços em um dado momento, o que é um fator que gera grande liquidez para a plataforma.

 

Terra e sua criptomoeda LUNA: Vale a pena?

 

Do ponto de vista econômico, uma das características mais interessantes da LUNA é que ela possui um teto de oferta máxima limitada a 1 bilhão de tokens LUNA, o que a torna, a longo prazo, uma ótima opção de investimento caso a demanda pela plataforma continue subindo, já que, em algum momento, o desequilíbrio entre a demanda e a oferta de LUNA será tão pronunciado que não haverá outra opção a não ser a explosão do preço dessa cripto.

Felizmente, essa plataforma já parece estar dando sinais de que será uma das mais bem sucedidas do universo cripto, e a demanda por sua principal stablecoin, UST, não para de crescer, o que levou esta stablecoin a ficar cotada acima de um dólar por múltiplas vezes no ano de 2021, obrigando a Terra a queimar milhões de tokens LUNA e emitir mais UST para compensar, até que o preço retornasse a 1 dólar.

A principal razão para isso é, muito provavelmente, o seu protocolo Mirror, que permite criar, por meio da plataforma, tokens sintéticos que espelham ativos fora da blockchain, como ações, debêntures, títulos e outros tipos de ativo.

Se como investimento a longo prazo a Terra Luna parece ser uma excelente escolha, como meio de staking para suas moedas, por outro lado, ela tem sido decepcionante até então, com retornos de apenas 1.5% ao ano, em média. Parte da razão é justamente o fato dela não ser uma moeda inflacionária, ou seja, não haver emissão constante de LUNA, em conjunto com o Limite máximo já citado, o que relega os ganhos com staking somente as taxas cobradas na rede.

Entretanto, até mesmo esse fato negativo parece estar mudando com o protocolo Anchor, resultado de uma parceria da Terra com a Cosmos, Solana e a Web3, desenvolvedora da Polkadot. Por meio da Anchor, você poderá enviar suas criptos para staking em uma única plataforma e, então, a própria Anchor aloca suas criptos em diversas outras blockchains baseadas em Proof-of-stake, gerando um retorno bem maior do que os 1.5% atuais da Terra.

Juntando todas essas frentes, temos a Terra como um meio de facilitação de pagamentos digitais, através da fácil criação de stablecoins; Promoção de fácil acesso a exposição a potencialmente qualquer ativo por meio do Mirror Protocol e um meio fácil de obter bons retornos sobre o capital com a Anchor, o que a torna talvez uma das melhores opções dentro do mercado de criptomoedas atual.

 

Terra (LUNA): Gráfico e preço hoje

 

Atualmente, a LUNA esta cotada próxima dos 35 reais.

LUNA preço

O modo mais fácil de comprar LUNA é por meio da Binance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *