O que é um Automated Market Maker?

Depois de mais de um década de existência, o Bitcoin e outras criptomoedas já criaram um mundo completamente novo de investimentos e possibilidades financeiras, sendo realmente uma nova modalidade descentralizada de mercados.

Alguns termos, entretanto, podem acabar sendo um pouco confusos para iniciantes. Até porque tudo ainda é muito novo e está em formação, entregando novas funcionalidades todos os dias.

Hoje gostaríamos de falar de uma um tanto quanto pouco tradicional, que é o Automated Market Maker. Este é um termo que surgiu para fazer um balanço com outra atividade semelhante que podemos encontrar em corretoras comuns.

Sendo assim, hoje vamos falar sobre o que é um Automated Market Maker e como isso funciona.

O que é um Automated Market Maker

 

O que é um Automated Market Maker?

AMM, ou Automated Market Maker, significa formador de mercado automático.

Para entender o que isso significa na prática, podemos começar entendendo o que é um formador de mercado, ou Market Maker, no mercado financeiro tradicional: Esta é uma pessoa, ou empresa, que irá fornecer capital para facilitar transações em um ambiente de negociações.

Esta pessoa em si não vai ter muito papel ativo na história, ela somente injeta capital em um ambiente de negociação de ativos, aumentando a sua liquidez e facilitando o cumprimento de várias operações que, de outro modo, demorariam muito tempo para serem concretizadas.

Esta necessidade vem do fato de que para que uma bolsa de valores, corretora, ou qualquer local que centralize pessoas para comprar e vender ativos possa operar é necessário que haja disponibilidade de volume de ativos a venda ou pessoas dispostas a comprá-los a qualquer momento e, à exceção dos ativos de mais alta liquidez, isso nem sempre irá acontecer

É aí que entra o Market Maker, que fornece ativos para um pool de negociação, para serem comprados por outras pessoas, em troca de uma comissão.

No mundo cripto, ocorre algo semelhante com o AMM, que é um mecanismo indispensável para a operação de corretoras descentralizadas, as DEX’s.

Como não há um livro de ofertas de compra e venda que organize os compradores de um ativo de um lado e os vendedores do outro como no caso de uma corretora centralizada, os usuários de uma DEX operam tendo como contraparte um pool de criptomoedas, que são fornecidas pelos chamados provedores de liquidez, pessoas dispostas a colocar suas criptos no pool em troca de um percentual de retorno.

Assim, se você esta na Uniswap, por exemplo, e quer comprar ENJ com ETH, você entrega ETH para a pool e recebe ENJ, pagando as taxas de gás. Tudo isso ocorre de forma automática pelo mecanismo do Automated Market Maker da Uniswap, sem necessidade de uma entidade intermediadora uma vez que as criptos necessárias estejam disponíveis na Pool.

Do outro lado, os fornecedores de liquidez, se quiserem resgatar suas criptos entregues à pool, irão na realidade receber o percentual equivalente do valor total da pool que tenham contribuído. Assim, se as criptos fornecidas representavam 1% do total, então ao resgatarem também receberão de volta 1% do valor total, mas não necessariamente esse 1% virá na forma das mesmas criptomoedas que ele contribuiu inicialmente já que, devido as negociações da DEX, as quantidades relativas de cada cripto na pool já terão mudado.

Essa questão leva a possibilidade da chamada perda impermanente, que se dá no caso de você receber criptos diferentes das que contribuiu inicialmente e essas criptos rapidamente mudarem de valor, por serem mais voláteis, o que seria tecnicamente uma perda do seu capital caso você escolhesse vendê-las naquele momento. Desse modo, essa deve ser mais uma consideração para quem pretende ser um Provedor de liquidez de uma plataforma desse tipo.

 

Considerações finais

Se você pretende operar como um provedor de liquidez em um Automated Market Maker de algumas DEX, é sempre importante conhecer bem a plataforma e o pool de liquidez que você está atrás para garantir que tudo esteja funcionando corretamente e que você não correrá riscos desnecessários.

Lembre-se, o maior desafio das criptomoedas é que você é seu próprio banco. O que de fato faz com que você tenha uma série de dificuldades um pouco maiores do que o habitual para assim ganhar mais liberdade e controle sobre seu dinheiro.

Até a nossa próxima dica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.