O que é um ETF? Vale a pena investir?

O que é um ETF? Vale a pena investir?
Rate this post

Você sabe o que é um ETF?

ETF é uma espécie de fundo de investimento que segue algum índice listado na Bolsa de Valores.

Como você sabe, os índices listados na Bolsa de Valores são o produto do agrupamento hipotético de ações com um perfil determinado, como veremos melhor mais adiante.

O mais famoso deles é o índice Bovespa, que reúne as empresas de maior liquidez, com maiores volumes negociados na B3, que representam mais de 80% do volume de negociações, reunindo ações de empresas como Vale, Petrobras, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e papéis de outras grandes companhias.

A composição desse índice é uma média ponderada do peso de cada uma das companhias no conjunto. O índice, em si, indica o desempenho desse conjunto de ações dentro de um determinado período. No caso do índice Bovespa, ele é um termômetro de toda a Bolsa de Valores, pelo fato de mostrar o desempenho médio das maiores empresas, responsáveis por mais de 80% dos negócios na B3.

Você deve ouvir diariamente no noticiário econômico que o índice Bovespa teve alta ou queda. Isso significa que, na média, o mercado de ações foi bem ou mal para os investidores. Vale observar, no entanto, que essa é, normalmente, uma visão de curto prazo, que não deve servir como principal ferramenta de análise, substituindo a avaliação individual da empresa em que você vai investir.

Como funciona um ETF?

Agora que já sabemos o que é um ETF e um índice da Bolsa de Valores, fica bem mais fácil explicar o que é esse tipo de investimento, que, na verdade, é algo bem simples, embora ainda não tão popular no Brasil.

o que é um ETF

É só juntar as duas coisas. O ETF é uma carteira de investimento que reflete a composição do índice escolhido.

Vamos exemplificar?

Índice X = ação Y com participação de 2%

ETF – ação Y com participação de 2%

Simples, não é?

Compondo a carteira do fundo da mesma forma como o índice é composto, com as mesmas ações e respectivas participações na carteira hipotética, temos uma carteira real idêntica.

O fundo ETF compra as ações de acordo com a participação de cada uma no índice, monta a carteira, divide em cotas e vende aos investidores. É por isso que muita gente diz que está investindo no índice Bovespa.

Bem, não é exatamente no índice, mas numa composição de ações que reflete o índice. Em razão disso, a carteira do fundo tende a espelhar o resultado do índice Bovespa. Não é simples?

Por que investir num fundo ETF?

Você pode encontrar muitas boas razões para investir no fundo ETF e outras tantas para não investir.

Então, nós vamos fazer um balanço geral sobre as vantagens, riscos e desvantagens. No final, você decide, está combinado?

Você sabe que o fundo de investimentos é uma forma de você, com baixo investimento, ter acesso a uma carteira diversificada e administrada por um especialista, capaz de fazer uma boa gestão de oportunidades e riscos.

Cada fundo de investimento tem seu perfil, sendo que o mais recomendável é o investimento em fundos de perfil moderado, que combinam investimentos em renda variável com investimento em renda fixa, buscando equilibrar eventuais perdas nas aplicações de maior risco.

Tudo isso, como você percebeu, requer gestores de fundo dedicados, o que torna mais alta a taxa de corretagem, que varia, nos fundos tradicionais, na faixa de 2% a 3%.

Enquanto isso, os fundos ETF cobram taxa de corretagem de no máximo 0,6%. Isso pode fazer uma enorme diferença na rentabilidade e só é possível porque, ao fazer sua carteira espelhando a dos índices da B3, não há necessidade de ter um gestor ajustando a carteira o tempo todo para buscar maior rentabilidade para os investidores.

Se isso é uma vantagem, temos, por outro lado, a desvantagem de se deixar passar oportunidades e de não se enfrentar as ameaças iminentes. Tudo isso, claro, pensando num viés de curto prazo.

O que há de melhor nas ETF é o que está na essência do bom investimento. É que cada índice reflete o desempenho de um determinado setor ou perfil de ações.

O IFNC, por exemplo, reflete os resultados das principais empresas do setor financeiro, assim como aquelas que possuem as melhores políticas de governança corporativa dentro do setor.

Como usar isso ao seu favor? É uma questão de você fazer uma análise macro e microeconômica para tentar entender o que vai acontecer com o setor financeiro no curto, médio e longo prazo. Se as perspectivas forem boas, ao aplicar seu dinheiro numa carteira que reflete o IFNC, você, além de investir num setor da economia com boas perspectivas de crescimento, com valorização do capital e geração de proventos, estará investindo em empresas sólidas, com boa gestão e baixo risco de deterioração dos resultados futuros.

Melhor do que isso, só se as ações estiverem em baixa, o que permitirá a você comprar mais ações com o mesmo dinheiro, aumentando o potencial de recebimento de dividendos e com perspectiva de grande valorização do capital.

Fundos ETF pagam dividendos?

Deve ter ficado uma dúvida com relação aos dividendos. É compreensível, porque deve parecer uma tarefa um tanto quanto trabalhosa calcular e repassar dividendos a cada um dos cotistas do fundo cada vez que uma empresa pagar proventos aos seus acionistas.

A solução é muito simples. Os fundos, nesse caso, recebem e reaplicam os dividendos, o que aumenta, proporcionalmente, o valor de cada cota. Então, ao contrário do que acontece quando você investe direto em uma ação na B3, o fundo não credita para você os dividendos e JCP. Ele reinveste os proventos e aumenta o valor da sua cota proporcionalmente às novas aquisições.

Fundos ETF em renda fixa existem

O ETF em renda fixa existe. Como já diz o nome, a diferença para os fundos de renda variável é o baixo risco. Além disso, gera menos dor de cabeça com o imposto de renda, já que a alíquota é aplicada na fonte, diferente dos fundos ETF em renda variável.

Em comum, os ETF em renda fixa também refletem índices de desempenho de determinado grupo de papéis. Um exemplo é o IMAB11, um dos mais tradicionais da B3, que reflete o comportamento dos títulos do Tesouro IPCA +.

Em comum, também, as baixas taxas de administração.

Agora que você já por dentro de como funciona, boa sorte nos investimentos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *