O que é uma Brain Wallet? Vale a pena usar?

Se você esta pensando em comprar bitcoins, com certeza uma das dúvidas que passa pela sua cabeça é qual tipo de wallet utilizar para guardar seus bitcoins. Entre a praticidade e a segurança, muitas vezes há um mar de indecisão para o usuário iniciante de bitcoin sobre qual tipo de wallet é a mais adequada para o seu caso.

O que é Brain Wallet

É nesse contexto que surge a ideia da Brain Wallet, já utilizada há muitos anos, que se baseia nada mais nada menos na ideia de manter a sua chave privada guardada -adivinhem só – na sua própria memória. Assim, teoricamente você atingiria um altíssimo nível de segurança, já que, até inventarem um dispositivo futurístico de leitura de mentes, você teria a garantia que ninguém além de você, em qualquer hipótese, teria acesso a sua chave privada. Ao mesmo tempo, a Brain Wallet, pode ser muito mais prática do que qualquer outro tipo de wallet, já que você só precisa da sua mente para usá-la e acessar seus bitcoins.

Apesar dessa aparente vantagem, é preciso ter consciência de que existem alguns pontos que precisam ser considerados e riscos que é necessário ter em mente antes de decidir utilizar uma Brain wallet.

 

Como funciona uma Brain Wallet?

 

Em princípio, você poderia guardar o endereço de 32 bytes ou 256 bits (Um byte corresponde a 8 bits), correspondente a sua chave privada na sua memória e simplesmente utilizá-la quando necessário. Entretanto se você considerar que uma chave privada é geralmente algo como isso:

L2ssYs4CZnGdh3oZjYHtbGFY78YsGTUoKC36X2aDiaWYzeFAz9X

Fica um pouco difícil decorar não é? Ainda que você treine por muito tempo, é importante lembrar que a sua chave privada é a coisa mais importante para manter seus bitcoins em segurança, o que significa que você precisaria manter essa chave gravada na cabeça por anos a fio, o que é muito pouco prático.

É por isso que, para criar uma brain wallet, se utiliza uma funçao Hash em uma frase qualquer que só você saiba. Se você não sabe o que é um hash e quer entender mais a fundo, dê uma olhada no artigo acima. Para fins desse artigo, basta você saber que ao passar um dado qualquer por uma função hash, sempre teremos uma saída composta do outro lado por uma combinação de letras e números que será exatamente igual sempre que aquele mesmo dado for passado por uma função hash daquele tipo. (No caso do bitcoin, o tipo da função hash utilizada é a SHA256).

Assim, se passamos uma frase qualquer por uma função Hash SHA256, teremos sempre a mesma combinação de letras e números – a mesma chave privada – saindo do outro lado. Isso significa que bastará que você grave aquela frase e, sempre que precisar da sua chave privada, basta usar alguma ferramenta de cálculo da função hash sha256 (como o bitaddress.org/, por exemplo) utilizando como entrada a sua frase.

Ao fazer isso, você terá a sua chave privada e, a partir da chave privada, pode criar a sua chave pública, que basicamente é o endereço da sua carteira na blockchain, que pode ser utilizada para enviar e receber bitcoins. Se você utilizar o Bit Adress, a sua chave pública já é criada automaticamente junto com a chave privada.

 

Riscos da Brain Wallet

 

A Brain Wallet tem o potencial para ser uma das formas de wallet mais seguras e práticas, mas apenas se utilizada do modo correto. O maior risco de uma Brain Wallet é utilizar uma frase de entrada óbvia ou, ainda que não completamente óbvia, muito comum, como frases famosas de filmes, títulos de livros, algum evento famoso, etc.

Como tudo que é necessário para se chegar a sua chave privada é a sua entrada, ou seja, a sua frase escolhida, é necessário que esta seja o mais incomum possível. Nos primeiros anos do bitcoin e, ainda hoje, é muito comum que endereços públicos gerados a partir de chaves privadas originárias de frases comuns ou muito famosas sejam monitorados e, assim que aparece algum bitcoin, a chave privada é acionada imediatamente e os bitcoins transferidos para a wallet do invasor.

Portanto, se você deseja usar uma Brain Wallet, esforce-se para que seja algo realmente incomum e que só você vá saber e, claro, jamais se esqueça dessa frase exata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *