O que são debentures?

O que são debentures?
5 (100%) 1 vote

Debêntures são um título de crédito emitido por sociedades por ações, ou sociedades anônimas. Através da emissão de debêntures, portanto, a empresa toma um empréstimo junto ao público investidor, que passa a fazer jus ao recebimento de uma determinada quantidade de juros, dentre outras possíveis vantagens, previamente estabelecidas no prospecto de emissão das debêntures.

Para fica mais fácil, você pode imaginar a debenture mais ou menos como um CDB especial, emitido por uma empresa ao invés de um banco. Assim como o CDB, a debênture pode ser considerada um investimento em renda fixa, já que retorna um percentual previamente estabelecido sobre o capital aplicado na sua compra.

 

Vale a pena investir em debêntures?

 

A decisão de investir em debêntures requer uma análise de diversos fatores, como:

-O seu perfil de investidor

-A rentabilidade da debênture investida

-O risco envolvido

Para saber se vale a pena, ou não, investir em debêntures, para você, a primeira coisa que você deve saber é o seu perfil de investidor. Se você possui um perfil mais conservador, talvez o investimento em debêntures de empresas blue chips – aquelas com maio volume de capitalização e que geralmente são mais sólidas – pode ser uma boa alternativa. Por outro lado, debêntures de empresas menos “famosas” no mercado podem apresentar um potencial de risco maior, mas geralmente também irão oferecer uma taxa de juros anual mais elevada para compensar esse risco. Nesse caso, um investidor com um maior apetite de risco e maiores habilidades para avaliar corretamente o negócio da empresa pode se beneficiar.

debentures

Geralmente, as debentures oferecem uma rentabilidade que é composta por um índice mais uma parcela fixa, possuindo uma média, em geral, em torno de IPCA + 4% ao ano, e uma prazo de resgate entre 3 e 5 anos. Essa rentabilidade esta em páreo com a oferecida pelo CDB em média, mas é possível encontrar algumas debêntures rendendo até IPCA +8%, o que é uma excelente rentabilidade para os padrões de mercado. É claro que nesse caso, você estará lidando com debêntures de empresas menores e correrá um risco um pouco maior, o que nos leva ao próximo ponto.

 

É Seguro investir em debêntures?

 

Quando você investe em debêntures, torna-se credor da empresa emitente. Por um lado, isso lhe dá uma margem de segurança significativa comparado a um acionista, já que diferentemente deste você não fica adstrito aos resultados que a empresa conseguir gerar de receita e lucro, possuindo o direito de receber os juros acordados nas datas de pagamento estabelecidas e mais o resgate do principal no vencimento do título.

Por outro lado, há sempre um risco de que o devedor não pague caso seus resultados financeiros durante o período de vigência da debênture sejam extremamente ruins. Por isso, o investidor em debêntures deve ter consciência do risco do negócio do qual compra debêntures e saber avalia-lo de modo adequado, ainda que não seja acionista do mesmo.

Outras vantagens das debêntures em comparação com o CDB e outros típicos investimentos bancários servem para contrabalançar esse risco, como a existência de um mercado secundário para elas, ou seja, você pode se desfazer delas antes de seu vencimento caso julgue que a capacidade financeira da empresa esta diminuindo e que ela possa enfrentar dificuldades para continuar pagando os juros e o principal no futuro. Em alguns casos as debêntures também podem ficar isentas do imposto de renda.

Por outro lado, as debêntures não contam com a proteção do FGC (Fundo garantidor de crédito) como o CDB e outros investimentos bancários.

 

 

Tipos de debêntures

 

As debêntures podem ser divididas em dois grandes grupos, cada um com suas subdivisões: Debêntures com garantia e debêntures sem garantia.

As debêntures com garantia podem ser:

Com garantia real – Nesse caso, a emissão de debêntures é garantida por um bem da empresa, que fica vinculada ao pagamento da dívida por meio de uma hipoteca, anticrese, caução ou penhor, conforme o prospecto, não podendo ser negociado ou alienado de qualquer forma. O valor total da emissão também não pode ultrapassar 80% do valor total do bem dado em garantia, uma margem de segurança extra para os debenturistas.

 

Com garantia flutuante – Funciona como no caso anterior, com a diferença de que o ativo dado em garantia não é fixo, podendo ser mudado ao longo do prazo da debênture.

 

Com garantia fidejussória – É a debênture cujo pagamento é garantido por um terceiro, como numa fiança. Esse terceiro pode ser outra empresa, do grupo ou não, algum sócio ou conjunto de sócios, entre outros.

 

Já as debêntures sem garantia se subdividem em:

Quirografárias – Tem preferência no pagamento em relação as subordinadas no caso de liquidação da companhia

 

Subordinadas – Não possuem qualquer garantia de nenhum tipo, sendo as últimas a receber o montante devido em caso de liquidação da companhia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *