O que é Criptografia Assimétrica?

Um dos conceitos mais interessantes da sociedade moderna é de fato a criptografia. Com uma série de cálculos aplicados e atividades de matemática básica, a criptografia pode fazer com que uma mensagem se torne praticamente indecifrável por qualquer pessoa indesejável.

Hoje podemos encontrar uma série de protocolos de criptografia no mercado. Principalmente aqueles que estão em uso nas blockchains, principalmente a blockchain do Bitcoin, que foi a pioneira da aplicação.

Entender o que é criptografia assimétrica é entender mais de criptomoedas e de seus funcionamentos nos níveis mais profundos da estrutura das cripto em si.

O que é criptografia Assimétrica?

O que é Criptografia Assimétrica?

Antes de mais nada, uma criptografia é uma técnica que serve para deixar uma mensagem indecifrável para pessoas que a interceptam. Somente as pessoas que conhecem a resposta para a criptografia em si possuem capacidade de ler a mensagem como ela foi escrita.

Este é um sistema aperfeiçoado por literalmente milênios, começando inicialmente com o sistema de cifras, onde a mensagem tinha uma ordem lógica e poderia ser facilmente desvendada apenas por quem conhecia o sistema previamente.

A Criptografia se fez necessária para garantir uma melhor experiência em situações onde todos podem interceptar uma mensagem.

A blockchain é um livro contábil aberto, ou seja, qualquer um pode ter acesso a todas as transações que ocorreram em uma blockchain. Por isso, o sistema de criptografia assimétrica acaba por ser necessário para garantir a segurança e privacidade dos usuários.

 

Como ele funciona?

Na criptografia assimétrica, também chamada de criptografia de chave pública, temos duas chaves. Por isso, há uma assimetria, pois as chaves não são iguais. Na criptografia simétrica, em regra, temos apenas uma chave, que é usada tanto para criptografar como para decifrar os dados. Ou seja, a mesma chave é utilizada na processo de proteção e abertura dos dados.

A mensagem é criptografada utilizando como base uma das chaves, no caso a chave pública, e somente pode ser descriptografada por quem tiver a chave privada correspondente.

A chave pública então, serve para gerar um endereço na blockchain, aquela sequência de letras e números que você já deve estar bem habituado se utiliza criptomoedas. Já a chave privada, serve para descriptografar e, então, poder alterar a informação ali contida, como a quantidade de criptomoedas quando você faz um envio para outro endereço da blockchain, por exemplo.

Assim, ao enviar criptomoedas para alguém em uma blockchain, você utiliza a chave pública dessa pessoa, ou seja, o seu endereço na blockchain e, como apenas ela possui a chave privada correspondente, apenas ela conseguirá movimentar os fundos.

Outra grande diferença é que, na criptografia assimétrica, é impossível obter a chave privada a partir da pública por meio de engenharia reversa, o que pode ser feito na criptografia simétrica.

De maneira geral a única falha da criptografia assimétrica é caso o usuário acidentalmente compartilhe sua chave privada. O que pode acontecer quando você imprime e perde o papel no caso de uma paper wallet, ou deixa ele exposto.

Outra coisa que pode acontecer é salvar os dados em um bloco de notas e então ter o computador hackeado, Por isso, sempre faça o melhor para não perder para outros sua chave privada, preferencialmente guardando-a por meio de uma cold wallet.

 

Considerações finais

Como você pode ver, a criptografia assimétrica é extremamente segura e não temos o problema de distribuição de chaves, pois há uma chave pública que todo mundo pode conhecer. Contudo, isso tem um custo. A criptografia assimétrica é muito mais lenta. Assim, para grande volume de dados usamos a criptografia simétrica, no qual a chave privada pode ser facilmente obtida a partir da chave pública.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.