Stablecoin do Paypal

Quem investe em criptoativos sabe dos riscos, afinal eles apresentam um alto grau de volatilidade. E foi pensando em resolver esse “problema” que surgiram as stablecoins, ativos híbridos, que transitam entre descentralidade das criptomoedas, e a tradicionalidade do mercado financeiro padrão.

As stablecoins buscam reduzir os riscos e dessa forma, aumentam a participação dos investidores no mercado de criptomoedas. Assim como as criptomoedas, as stablecoins são lançadas por empresas que visam este mercado, e em janeiro do ano passado, a PayPal anunciou estar desenvolvendo sua própria stablecoin.

Stablecoin do Paypal

Stablecoin do PayPal

A plataforma PayPal vem desenvolvendo o lançamento da sua própria stablecoin. Um grande esforço foi feito pela empresa dentro do mercado das criptomoedas em 2021 e 2022 no lançamento de recursos tanto para comprar quanto para manter moedas digitais. Sem contar a utilidade padrão da plataforma do pagamento de compras utilizando moeda fiduciária.

A proposta do PayPal seria criar uma stablecoin para pagamentos, afinal isso ainda inexiste no mercado das criptomoedas. Para ser utilizada no PayPal, a stablecoin teria que ser capaz de suportar pagamentos em grande escala, disse Jose Fernandez, Vice-presidente sênior de moedas digitais do PayPal.

Antes do PayPal outras empresas já lançaram suas próprias moedas, e algumas outras também desenvolvendo suas stablecoins. Alguns exemplos de empresas conhecidas são o Facebook, que atualmente se chama Meta. A Meta tentou desenvolver uma stablecoin de nome Diem, mas o projeto foi suspenso depois de algumas rusgas com reguladores.

Já a Visa, conhecida companhia de cartões recentemente permitiu ter uma stablecoin com lastro em dólares americanos para fechar transações na rede.

 

Stablecoin: Vale a pena?

Para saber no que investir é preciso conhecer seu perfil de investidor, portanto a resposta para essa pergunta vai depender do seu tipo de pessoa. Contudo, quem busca mais estabilidade nos ativos, com certeza vai preferir investir nas stablecoins.

E vale dizer que existem tipos diferentes de stablecoins, porque como explicamos, elas são moedas digitais que estão ligadas no mercado financeiro tradicional através do tipo de lastro.

Existem stablecoins pareadas com moedas fiduciárias como o dólar e o euro, e stablecoins pareadas em commodities, como o ouro. Vejamos alguns exemplos:

Lastreadas em moeda fiduciária: São as mais conhecidas, também chamadas de stablecoins centralizadas, compõe mais de 75% do valor de mercado das stablecoins. Sua colaterização é a partir de moedas como dólar, euro e inclusive real. Alguns dos exemplos mais conhecidos são a Tether (USDT) e a USD Coin (USDC).

Lastreadas em commodities: Já as stablecoins possuem menor valor se comparadas as outras, por serem garantidas por ativos físicos, como ouro e outros metais preciosos. Uma das principais stablecoins dessas categoria é a PAX Gold (PAXG), que para cada token PAXG equivale a 31 gramas de ouro.

Existem outros dois tipos de stablecoins, as algorítmicas e as baseadas em outras criptomoedas, mas as mais comuns e conhecidas são as com lastro em moeda fiduciária ou commodities como mostrado.

E aí, gostou? Então nos siga para ficar por dentro de tudo sobre o mundo das criptomoedas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.