O que são commodities?

O que são commodities?
5 (100%) 1 vote

Você sabe o que são commodities? Alguma vez você pensou que é possível investir nelas?

Vamos por partes.

Você já deve ter ouvido falar em valor agregado. O que diferencia um produto do outro é o valor agregado, podendo ser esse valor material ou intrínseco. Produtos tecnológicos são produtos com alto valor agregado, pois passam por um processo de fabricação complexo, de modo a construir atributos e funcionalidades de alto valor para os consumidores.

As commodities também possuem alto valor para os consumidores e para a indústria, mas baixo valor agregado, pois são produtos de origem primária, como petróleo, arroz, minério bruto, carne, leite, etc.

Quanto menos processos sejam necessários até um produto chegar à sua forma comercializável, mais próximo ele está de ser uma commodities.

commodities

Apesar disso, você já deve ter ouvido falar que os serviços dos bancos se transformaram em “verdadeiras commodities”. Isso acontece porque muitas vezes chaga-se a um ponto em que as empresas de um determinado setor não conseguem mais diferenciar seus serviços. Pense bem, como é que você percebe a diferença entre um seguro e outro?

Da mesma forma, é comum você chegar ao supermercado e se deparar com diversas marcas de arroz, sendo que, muitas vezes, umas são mais caras que as outras. Como é que elas se diferenciam? Muito provavelmente, pela marca. A marca é um diferencial competitivo, pois transmite confiança e credibilidade.

No nosso caso, estamos falando de um tipo diferente de transação comercial, que inclui grandes volumes de unidades de produtos primários. Não se trata do arroz na prateleira, mas do arroz que vai ser exportado para outros países. Quando um país da Europa decide importar arroz ou milho de outros países, qual seria o critério definitivo para ele decidir de qual parceiro comercial comprar?

Evidentemente, o critério principal é o custo de aquisição, que envolve o preço do produto, propriamente, o custo com impostos e o custo com logística. Por que funciona assim? Porque arroz é, basicamente, a mesma coisa em qualquer lugar, sobretudo quando temos grandes produtores dominando técnicas de plantio e cultivo que estão universalizadas.

Assim são as commodities. São produtos de baixo ou nenhum valor agregado, em que não há diferenças perceptíveis. É o caso da cana de açúcar, café, trigo, carvão, ferro, etc. Observe que, normalmente, as commodities são produtos primários relacionados a alimentação, energia e indústria.

 

O que define o preço das commodities?

 

Você já deve ter ouvido ou lido no noticiário que o barril do petróleo está custando “X” dólares. Deve ter reparado que, quando falamos em preço do barril de petróleo, estamos nos referindo ao preço internacional, ou, em outras palavras, a todo petróleo que é comercializado no mundo. Essa é uma característica das commodities. Uma commodity custa praticamente o mesmo preço em qualquer lugar.

Sim, mas o que determina esse preço quase único? É muito simples. É bem possível que você se lembre da crise econômica que se abateu sobre o Brasil em 2013 e 2014. O que houve, na ocasião, foi, entre outros fatores, uma desaceleração do crescimento da economia chinesa. A consequência foi a queda do preço das commodities, decorrente da retração da demanda internacional por elas. Para você ter uma ideia, o preço do ferro no mercado internacional chegou a cair pela metade.

Muitos outros produtos tiveram queda como consequência da retração da demanda. O que aconteceu foi que os exportadores mundiais de commodities passaram a concorrer por demandas menores. Lei básica da economia: redução da demanda x manutenção da oferta no mesmo patamar = queda dos preços.

 

Como o país tinha sua economia fortemente dependente da produção e exportação de commodities, acabou balançando, reduzindo a geração de caixa.

 

Você percebeu a importância das commodities para a economia mundial?

 

Vamos a outro exemplo que pode nos ajudar bastante com a compreensão do tema, até ampliando um pouco o nosso escopo. Você deve estar lembrado da crise do petróleo em 2015. O preço do barril despencou a menos da metade do que vinha sendo negociado.

 

A crise abalou as estruturas da Petrobras e colocou a política do governo em xeque. Na ocasião, o Brasil subsidiava os preços internos com o lucro obtido com as exportações, sendo essa uma das políticas para a aceleração do crescimento da economia. Porém, a Petrobras acabou sendo obrigada a aumentar o preço dos combustíveis internamente para suprir a perda com as exportações.

A reação foi em cadeia. Além do agravamento da crise política, o custo da economia interna aumentou, reduzindo margens e abalando a cotação de diversas empresas na B3. No final do ano, o índice Ibovespa cairia 13,3%.

É importante que você tenha uma percepção bem clara da importância das commodities e das estratégias que você precisa seguir para investir no mercado futuro. Além disso, é importante perceber como a macroeconomia reage em cadeia, jogando para cima ou para baixo o preço das ações.

 

É possível investir em commodities no mercado financeiro?

 

É possível investir em praticamente tudo no mercado financeiro. Basta que esse praticamente tudo tenha valor e possa render dividendos num futuro próximo ou distante.

Aliás, você já ouviu falar em mercado futuro? Trata-se de um tipo de operação, disponível na Bolsa de Valores, em que você divide oportunidades e riscos relacionados a contratos futuros.

A variável que determina o lucro ou prejuízo do seu investimento é a queda, consolidação ou aumento do preço. Caso você tenha investido num contrato futuro de venda de commodities, você ganha se o preço ficar dentro do previsto ou se ele subir e perde se o preço cair.

Por isso é importante que você tenha informações técnicas e fidedignas do mercado futuro. É preciso que o investidor domine os cenários futuros. Não basta investir numa commodity que esteja com o preço em alta no presente. É preciso saber se a tendência é de que esse preço se mantenha no futuro. Razão pela qual é preciso ter um panorama da política e da economia internacional.

No mercado de commodities você entra como uma espécie de fiador do vendedor. O propósito é reduzir os riscos para o produtor de uma queda abrupta no preço da referida commodity. Assim, o mercado futuro funciona como uma espécie de garantia para atenuar as perdas do produtor. Em troca, ele concede parte dos lucros obtidos com a variação positiva de preço aos investidores.

Para tornar o investimento possível, você deposita a chamada margem de garantia, que é o valor que pode ser debitado de sua conta na corretora de valores caso haja prejuízo na operação. Essa garantia não precisa ser necessariamente em dinheiro, podendo ser empenhadas ações e outros ativos.

A lógica é muito parecida com a compra e venda de ações. No mercado futuro você compra opções e divide com o produtor o lucro ou o prejuízo decorrente da variação de preço.

Como se trata de uma operação bastante complexa, que requer grande habilidade do investidor, a opção é aderir aos fundos de capital protegido, que combinam investimentos em renda fixa, de baixo risco, com investimento em commodities.

Além de fazer a gestão de risco na composição da carteira de investimentos, o gestor do fundo terá conhecimento e habilidades comprovadas no trato com o mercado de commodities, para operacionalizar a carteira e encontrar as melhores oportunidades.

Investimento em commodities

Principais commodities brasileiras

 

Confira quais são as principais commodities brasileiras:

 

– ouro;

 

– proteína animal;

 

– soja;

 

– trigo;

 

– laranja;

 

– petróleo;

 

– minério de ferro.

 

O fato de serem produtos altamente competitivos não garante lucratividade no mercado de vendas futuras.

Portanto, antes de investir em qualquer tipo de commodity, busque informações de especialistas, que levem em conta fatores como:

 

– expectativa de variação de preços no mercado internacional;

 

– planos de concorrentes internacionais de expansão da produção;

 

– tendências de consumo da commodity nos países tradicionalmente compradores;

 

– possíveis consequências de crises políticas no consumo internacional;

 

– poder de regulação dos preços por países ou conglomerados econômicos, como a OPEP;

 

– etc.

 

Focamos, basicamente, em matérias primas, mas há outras formas de commodities, como, por exemplo, as financeiras. É o caso das moedas, que são negociadas por uma cotação internacional, caso do euro e do dólar. O mesmo acontece com os títulos do Tesouro e índice Bovespa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *