O que é o PIX?

Provavelmente, nas últimas semanas você deve ter ouvido muito falar sobre o PIX, o novo meio de pagamento eletrônico e instantâneo do banco central. Mas você sabe exatamente como funciona o PIX e o que ele pode representar para o futuro do dinheiro? É isso que vamos ver hoje

 

Como funciona o PIX

 

O PIX é um meio de pagamento que tem como finalidade principal resolver dois problemas nos meios de pagamento tradicionais, os conhecidos Documento de Ordem de Crédito (DOC) e Transferência Eletrônica Disponível (TED):

  • A demora para compensação que, no caso do TED, leva algumas horas e no do DOC, pode chegar a levar 2 dias úteis
  • O horário restrito de funcionamento atual dos sistemas bancários, apenas durante os dias de semana e somente até as 17 hrs para compensação de pagamentos.

Atualmente, a única que chance que você tem de transferir rapidamente dinheiro para outra conta é quando as duas contas integram a mesma instituição financeira. Com o PIX, a transferência instantânea passa a ser a regra e não a exceção. Você vai poder transferir dinheiro para qualquer pessoa de modo instantâneo 24 horas por dia, incluindo finais de semana.

Outro ponto que o PIX traz de vantagem é a simplificação do processo para transferências. Atualmente, são necessárias pelo menos 4 informações diferentes para realizar uma simples transferência, independentemente do montante:

  • CPF ou CNPJ do destinatário
  • Número da conta
  • Número da Agência
  • Código de identificação do Banco

Com o PIX será necessária apenas uma informação para concretizar a transferência, que fica a critério do usuário escolher: CPF/CNPJ, número de celular ou email.

 

Pagamentos por meio do PIX

PIX pagamentos

        Além de transferências entre contas, o PIX também poderá ser usado para pagar por produtos e serviços por meio de um QRcode. Além disso, com o PIX será possível o saque descentralizado, ou seja, você poderá sacar dinheiro não somente em agências bancárias mas também na padaria, na farmácia, no restaurante e qualquer outro tipo de estabelecimento que opte por se cadastrar no sistema do PIX, tornando qualquer forma de pagamento muito mais conveniente.

 

Tarifas mais Baratas

 

Outra vantagem do PIX são as tarifas muito mais barata quando comparadas com DOC e TED, que podem variar de 14 a 20 reais por transação. No caso do PIX, o banco central anunciou que será cobrada uma taxa de um centavo para cada 10 operações. Esse preço provavelmente será maior para o consumidor final, já que bancos e corretoras poderão estipular suas próprias taxas, porém a tendência é que haja uma redução significativa nas tarifas para transferência de valores.

 

Agendamento de pagamentos

 

O PIX permitirá também o agendamento de pagamentos para data futura, o que pode vir a representar o fim do cartão de crédito. Outra coisa que deixa de fazer sentido com essa funcionalidade é o boleto bancário, tendo em vista que sua confirmação pode levar até 48 horas, enquanto o PIX é processado de modo instantâneo.

 

Segurança

 

Quando comparado com os meios de pagamento tradicionais, o PIX é mais seguro por contar com protocolos mais avançados de criptografia. Entretanto, por ser um sistema descentralizado, é óbvio que essa segurança não chega nem perto de uma blockchain sólida como a do bitcoin, oque nos leva ao próximo ponto.

 

O que o PIX significa para o futuro do dinheiro e das criptomoedas?

 

Em um primeiro momento, o PIX parece ter apenas grandes vantagens para as pessoas em geral, facilitando a realização de transações financeiras em larga escala quando comparado aos métodos tradicionais de pagamento.

Entretanto, se pensarmos um pouco mais a frente, uma preocupação razoável que podemos ter é sobre a real intenção do governo em lançar um sistema de pagamento que, até o momento, parece tentar emular o modo de se realizar transações financeiras das criptomoedas – especialmente o bitcoin – desde transações instantâneas até a criptografia. A única coisa que não foi emulada, obviamente, é a descentralização, algo que faz todas a diferença quando falamos em liberdade do IndivÍduo.

Assim, há o temor de que o PIX possa ser a primeira linha de investida contra as criptomoedas. Algo que começa de modo silencioso e que lá na frente, quando todos estiverem usando – tendo em vista que o Banco Central obrigou bancos e corretoras com mais de 500 mil clientes a adotarem o PIX – servirá como um possível argumento para a proibição ou regulação maciça das criptomoedas aos dizeres de: “você não precisa de bitcoin, veja só, utilize o PIX, é tão rápido quanto”. No mínimo, o impacto negativo que o PIX pode ter sobre o bitcoin e outras criptos é a maior facilidade que o Banco central vai ter para rastrear todas as transações, diminuindo a esfera de independência conferida ao indivíduo que é marca registrada das criptomoedas.

Desse modo, apesar das facilidades iniciais trazidas pelo PIX, é bom ficar de olho nos próximos passos do Banco Central.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *