O que é a Stacks (STX)?

A Stacks é uma criptomoeda desenvolvida em 2013 por Muneeb Ali e Ryan Shea, dois cientistas da computação da Universidade de Princeton e fãs declarados do Bitcoin.

Stacks STX
Muneeb Ali e Ryan Shea, os fundadores da Stacks

A Stacks se baseou no trabalho de mestrado de Muneeb Ali, que explorava a possibilidade construir uma nova internet sobre a blockchain do Bitcoin, um projeto que foi inicialmente chamado de blockstack até ser renomeado para stacks em outubro de 2020.

Essencialmente, a Stacks funciona como uma espécie de Layer 2 acoplada a blockchain do Bitcoin, assim como é, por exemplo, a Lightning Network. A Stacks utiliza um mecanismo de consenso diferenciado, o Proof-of-transfer. 

O proof-of-transfer permite que usuários façam o empilhamento, ou stack, de tokens STX na rede em troca da chance de ganhar bitcoin. Esse bitcoin, por sua vez, vem de mineradores que fazem o stacking de Bitcoins na rede em troca da chance de minerar um bloco na Stacks e ganhar o token STX.

Os bitcoin que são comprometidos pelos mineradores de stacks são bitcoins minerados na própria rede do bitcoin e que ficam em poder da Stacks e depois são distribuídos aos endereços dos usuários que fizeram o stacking na rede. Essa dinâmica de interação entre as duas redes torna possível que qualquer transação na Stacks seja verificável na rede do bitcoin sem que essa seja sobrecarregada, já que são as transações normais na blockchain do bitcoin – que, por meio da mineração, geram bitcoins – que servem de lastro para as operações na stacks.

Os bitcoins que os mineradores deixam em stacking na rede então, funcionam como uma prova do poder computacional robusto necessário para a mineração proof-of-work do bitcoin, que acaba beneficiando indiretamente a Stacks.

A Stacks também permite o desenvolvimento de smart contracts em sua plataforma, através da linguagem de programação Clarity, especialmente desenvolvida para ela. Todos os dados dos smart contracts da Stacks são armazenados off-chain, em uma plataforma também descentralizada chamada Gaia. Apenas os detentores da chave privada do endereço correspondente do smart contract na blockchain da Stacks podem acessar os seus respectivos dados na Gaia, ou ceder autorizações de acesso a terceiros.

 

Stacks (STX): Análise de preço da criptomoeda

 

Após o anúncio de diversas parcerias e de outras empresas de criptomoedas se tornando mineradores na rede, além do anúncio de que a Stacks já tinha concedido recompensas totais equivalentes a 5,5 milhões de dólares em BTC, a Stacks experimentou um aumento de 12x no seu preço desde novembro do ano passado, saindo de 23 centavos de dólar por STX para 2.70 dólares por STX em meados de abril. De lá para cá, a STX, como grande parte das Altcoins nesse meio tempo, experimentou uma queda considerável, voltando ao patamar de 92 centavos de dólar por STX.

 

STX criptomoeda

Um dos problemas para que a STX volte a demonstrar uma apreciação considerável é que um dos principais fatores de demanda dessa criptomoeda são os usuários que fazem stacking de STX na rede em troca de Bitcoin. O problema é que o mínimo necessário para fazer stacking é de 90.000 STX, o que mesmo no preço reduzido atual significa mais de 80 mil dólares de investimento inicial, diminuindo o número de usuários demandando STX. É claro que há a possibilidade de fazer parte de uma pool de stacking de STX por meio de corretoras e empresas que oferecem esse serviço, mas isso nem sempre é viável ou confiável, além do que as taxas cobradas para fazer parte da pool podem comer uma parte significativa dos lucros do stacker. Com a demanda sendo forçada para baixo até que esse problema seja resolvido torna-se mais difícil que a STX suba de preço no curto prazo.

Por outro lado, do ponto de vista da análise técnica, a STX tem formado um padrão reminiscente de um triângulo ascendente, nos quais o preço de suporte – o nível mais baixo de preço no qual o ativo encosta – se torna cada vez maior a medida em que o preço de resistência – o nível mais alto de preço no qual o ativo encosta – permanece o mesmo, indicando uma possível nova subida do preço a partir do momento atual. Entretanto, de qualquer modo, a STX não deve apresentar uma valorização de preço tão brusca quanto as outras Altcoins.

Outro ponto negativo a se considerar é que as vendas privadas de STX ao longo dos anos foram todas feitas para grandes fundos de venture capital e outros investidores institucionais, que possuem um grande incentivo para vender caso o preço suba um pouquinho mais, já que essencialmente compraram grandes quantidades do token a um preço de 10 centavos de dólar. Com a venda maciça desses big players o mercado certamente cairia bruscamente.

 

Conclusão

A STX é um projeto extremamente interessante devido ao fato de interagir diretamente com a principal criptomoeda do mercado e favorecer o fortalecimento do BTC. A longo prazo, a STX desempenhará um papel de aceleração da adoção em massa do Bitcoin e manutenção da segurança e descentralização da rede a medida em que as recompensas por bloco minerado diminuem progressivamente ao longo do tempo, devido ao halving, necessitando de uma contrapartida para manter o incentivo econômico da mineração.

Em tese, isso viria através das taxas que já são cobradas na rede do bitcoin, mas para que apenas as taxas sejam um incentivo suficiente, é necessário ou que sejam altas – o que inviabilizaria a utilização do próprio bitcoin como dinheiro – ou que sejam em grande quantidade, e é exatamente ai que a STX pode ajudar, servindo como a layer 2 para um grande volume de pequenas transações.

A curto e médio prazo, entretanto, se o que você esta buscando é maximizar os seus ganhos com criptomoedas, a STX talvez não seja a melhor opção, devido ao que já vimos nos parágrafos anteriores.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *