Os 10 maiores mitos sobre criptomoedas

Com a cada vez maior popularização das criptomoedas, naturalmente algumas ideias não tão verdadeiras sobre esses ativos acabam ganhando mais projeção e chegam, em muitos casos, a assustar os iniciantes em criptomoedas.

Por isso, nesse artigo, vamos falar sobre os 10 principais mitos que rondam o mundo das criptomoedas – e te mostrar o porquê você não pode se deixar levar por eles.

Mitos sobre criptomoedas

1 – Você ficará rico em pouco tempo com criptomoedas

 

Esse é um mito que, com certeza, é um dos principais responsáveis por despertar o interesse por criptomoedas em pessoas que não sejam naturalmente chegadas a tecnologia.

Esse mito é alimentado principalmente por notícias bombásticas sobre investidores que ficaram milionários em pouquíssimo tempo por terem apostado em alguma criptomoeda que se valorizou drasticamente. Bom, o problema aqui é o do viés de confirmação: Se você ouve falar sobre os drásticos aumentos de preço de criptomoedas e, ao pesquisar mais, se depara com dezenas de notícias sobre milionários do mundo cripto, então você naturalmente esta disposto a acreditar que criptomoedas são um dos caminhos mais fáceis para a riqueza.

Além disso, temos o viés de resultado. Você terá a tendência de acreditar que se alguém ficou rico ao comprar uma criptomoeda que se valorizou centenas de vezes, então é obviamente porque criptomoedas são o futuro e irão sempre dar muito dinheiro, e não porque o investidor em questão simplesmente teve sorte em apostar em uma cripto que subiu drasticamente naquele exato momento, do mesmo modo que poderia ter naufragado. Todos os outros casos de pessoas que perderam muito dinheiro comprando criptomoedas sem a análise adequada também serão convenientemente ignorados pelo seu cérebro.

Com isso, temos a receita perfeita para um ato excessivamente entusiasmado de compra de criptomoedas que provavelmente levará o investidor em questão a perder dinheiro, mas, advinha só o que ele fará após isso acontecer? Claro, vai dizer que a culpa é do mercado e que criptomoedas são fraude… pois é…

 

2 – Day trading de criptomoedas é o melhor meio de ganhar dinheiro rápido

 

Esse mito costuma estar acompanhado do primeiro e é ainda mais arriscado. Mesmo quando falamos do mercado de ações, estratégias de day trading são extremamente difíceis de aplicar com sucesso na prática e, sem dúvida, são uma das maiores causas de pessoas frustradas e que perdem muito dinheiro com a bolsa de valores.

Quando falamos do Day trading com um ativo extremamente volátil como criptomoedas – que podem variar, as vezes, 30% para mais ou para menos em um único dia –  então o risco do Day trading se torna ainda maior. É extremamente difícil tentar prever os movimentos de uma criptomoeda dentro de um único dia, mesmo utilizando ferramentas e estratégias adequadas.

Se você é iniciante com criptomoedas, FUJA do Day Trading, ao menos nesse primeiro momento. É necessário um grande nível de experiência para conseguir fazer trades lucrativos e com consistência dentro de um único dia. Ainda assim, investir em criptomoedas que você entende, tanto do ponto de vista da tecnologia quanto da usabilidade, e segurar por um tempo – ou até mesmo permanentemente, como é interessante fazer com o bitcoin – acaba sendo uma estratégia muito mais simples e lucrativa, e muito menos estressante também.

 

3 – Alavancagem no trade de criptomoedas

 

Se fazer day trade com criptomoedas já é altamente arriscado, então fazer trades de qualquer tipo com alavancagem deveria ser considerado quase uma forma de suícidio financeiro para qualquer iniciante.

Esse é um dos cenários onde a ganância fala mais alto e leva o investidor a agir de modo totalmente irracional. Se você pode conseguir um ganho de 3-4x em relativamente pouco tempo investindo em uma criptomoeda promissora, então porque não utilizar alavancagem e transformar esse ganho em 30x,40x ou até 80x?

O problema é que o mercado nem sempre vai se mover na sua direção e, em um ativo tão imprevisível como cripto, as consequências dessa verdade se fazem sentir com ainda mais intensidade. A menos que você seja um trader experiente e tenha uma boa estratégia de Hedge, na maior parte das vezes você perderá muito mais dinheiro do que ganhará. Basta um movimento de 10% para baixo no preço da sua cripto -algo bastante comum de ocorrer em um único dia – para que uma alavancagem de 10x coma instantaneamente todo o seu capital.

Quando você consegue multiplicar o seu capital múltiplas vezes com boas escolhas de criptomoedas, não há necessidade de ainda querer alavancar e aumentar desproporcionalmente o seu risco.

 

4 – Os preços do Bitcoin e critpto são movidos pelos investidores individuais

 

É confortante acreditar que você ou seus amigos tenham algum impacto no preço do ativo ao comprar bitcoin ou qualquer outra criptomoeda, mas a realidade é que todo grande movimento de preço nesse mercado é em larga parte causado pelos chamados investidores “baleia”, ou seja, investidores com largas posições de uma determinada criptomoeda, tão grande que qualquer coisa que ele faça no mercado, seja comprar ou vender, certamente terá algum impacto no preço do ativo.

Na grande maioria das vezes, esses investidores baleia são grandes bancos e instituições financeiras. De acordo com esse report, os investidores baleia representam 4% do total de participantes do mercado, porém movem cerca de 85% do volume total negociado, tornando-os desproporcionalmente influentes.

É bom sempre manter esse mito em mente quando você buscar investir em criptomoedas com base em notícias do mercado porque, no fim das contas, o que realmente move o mercado não são aquelas notícias, mas sim as decisões das baleias, e elas não necessariamente estão atuando com as mesmas informações que você.

 

5 – Bitcoin é prejudicial ao meio ambiente

 

Esse é certamente um dos mitos mais utilizados como fator de medo por todos aqueles que não tem interesse no crescimento dessa criptomoeda. Na realidade, a imensa maioria da energia utilizada na mineração do bitcoin – cerca de 74% – provem de fontes renováveis, tornando o bitcoin quase 3 vezes mais “verde” do que a média global considerando todas as atividades dependentes de energia.

Se você quer entender melhor esse ponto veja: O bitcoin é prejudicial ao meio ambiente?

 

6 – O Bitcoin é controlado pela China

 

Um dos maiores argumento a favor da adoção do bitcoin é a sua descentralização e a maior liberdade que vem para o indivíduo com isso, que deixa de depender da competência do governo para gerir o valor da moeda que ele utiliza. Assim, não é de se impressionar que esse mito, assim como o anterior, seja propagado com frequência para descreditar o Bitcoin.

Enquanto é verdade que a maior parte dos mineradores se encontram na China, não há como se confundir indivíduos que mineram bitcoin com o governo chinês, que sequer tem como rastrear quais são e onde se encontram os indivíduos que mineram bitcoin devido ao anonimato da rede, e as sucessivas e fracassadas tentativas da China de banir o bitcoin nos últimos anos apenas servem para corroborar isso.

Além disso, os mais de 13 mil nodes atuais que mineram bitcoin estão distribuídos por 93 países, fazendo com que a rede não dependa de um único local para funcionar. O recente movimento de mudança de mineradores da China para outros países só vai acentuar isso.

Os 10 maiores mitos sobre criptomoedas
Países onde estão localizados os nodes de bitcoin

 

Se você quer ver todas as informações sobre mineração de bitcoin, veja este site: bitnodes.io 

 

7 – Os governos podem acabar com o bitcoin

 

Esse é talvez o principal argumento contra o Bitcoin ou qualquer outra criptomoeda verdadeiramente descentralizada. É claro que nenhum governo deseja perder o monopólio sobre a moeda, porém banir o bitcoin é praticamente impossível, já que não há como saber quem esta por trás de cada endereço da blockchain ou onde estão os mineradores exatamente, o que significa que a rede sempre estará rodando, ainda que um ou outro usuário pare de participar dela com medo de restrições impostas pelo seu governo.

Não é por outro motivo que todos os países que tentaram banir o bitcoin falharam ou voltaram atrás. A china tenta desde 2017 bani-lo, mas sem sucesso, mesmo sendo talvez o país com o melhor sistema de vigilância com inteligência artificial do mundo. Países como Índia e Nigéria também tentaram banir o Bitcoin, apenas para verem seu uso explodir ainda mais e desistirem da ideia posteriormente.

O Único meio de talvez acabar com o Bitcoin seria desligando por completo toda a Internet mundial, o que não é uma alternativa muito provável. Ainda assim, uma vez que a Internet retornasse, seria apenas uma questão de tempo para que a rede voltasse a rodar.

 

8 – Criptomoeda é coisa de criminosos

 

O Mito mais acreditado por todos aqueles que nunca dedicaram 10 minutos sequer a entender o que é uma criptomoeda. Com tantas notícias em veículos de grande mídia espalhando desinformação sobre o bitcoin e sobre as criptomoedas em geral, não é difícil entender porque os mais incautos acreditam que, de fato, há algo de ilegal com essas moedas digitais.

Mitos sobre criptomoedas

Entretanto, essa crença não poderia estar mais longe da realidade. De todas as transações com criptomoedas no ano de 2020, apenas cerca de 0.34% estavam envolvidas com atividades ilícitas. Tirando um pico de 2.1% em 2019, na maior parte dos anos a atividade criminosa envolvendo cripto é de menos de 1%. Agora, será que se fizermos a mesma análise com uma moeda como o dólar chegaremos aos mesmos números?

 

9 – Bitcoin possui privacidade absoluta

 

Esse é um mito que mesmo muitas pessoas que já possuem alguma experiência com bitcoin acabam acreditando por não se atentarem a um detalhe. O Bitcoin é anônimo, pois não como saber quais as pessoas estão por trás de quais transações, mas não privado, pois todas as transações estão gravadas em sua blockchain e podem ser vistas por qualquer um, a qualquer momento. Na realidade, é mais fácil rastrear uma quantia de bitcoins do que uma quantia de dinheiro em espécie, já que, no caso do bitcoin existe esse registro público.

Assim, sempre que alguém tenta usar esse argumento – que geralmente se une ao argumento anterior – entenda que é um argumento falacioso justamente para tentar associar o bitcoin a algo obscuro e possivelmente ilícito.

Bitcoin é furada

A título de exemplo, para uma criptomoeda realmente 100% privada, e que já esta se tornando o terror dos governos, veja: Monero.

 

 

 

 

10 – Os maximalistas do Bitcoin

 

Os maximalistas do bitcoin tem tanta fé no Bitcoin que acreditam que apenas o Bitcoin tem valor enquanto criptomoeda e que todas as outras são apenas “shitcoins”, ou moedas porcaria que estão fadadas a desparecer no longo prazo.

Embora o bitcoin de fato tenha propriedades únicas no que diz respeito a sua descentralização, robustez na segurança e como reserva de valor e dinheiro forte a longo prazo, considerar que apenas o bitcoin tenha utilidade é algo que demonstra uma grande ignorância sobre o mercado de criptomoedas.

Começando pelo próprio exemplo da Monero acima, vemos que esta cripto claramente oferece uma vantagem em relação ao bitcoin para quem esta interessado em privacidade absoluta. Por outro lado, plataformas focadas em smart contracts como a Ethereum, Ada, Avax e muitas outras, oferecem funcionalidade para desenvolvimento de aplicativos descentralizados (Dapps) que são muito difíceis de serem replicadas pelo Bitcoin.

É claro que o Bitcoin segue sendo o bastião das criptomoedas e ninguém pode negar isso. Mas acreditar que apenas o Bitcoin será capaz de atender a todas as possibilidade de uso da blockchain é de uma estreiteza de visão sem precedentes. Boas criptomoedas no mercado atendem a diversos casos que o Bitcoin não tem capacidade de atender, e esta tudo bem que assim seja. No futuro, o cenário que teremos para as criptomoedas muito provavelmente será o da coexistência de diversas criptomoedas que se mostrarem, cada uma, claramente dominante em sua funcionalidade principal. No quesito reserva de valor de longo prazo, não há dúvidas de que esse posto já esta ocupado pelo bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *