O que é Algorand (ALGO)?

Algorand é uma criptomoeda fundada em 2017 pelo professor do MIT (Massachussetts Institute of Technology) Silvio Micaeli, que já era famoso por ter contribuído para a criação de várias tecnologias criptográficas, como as provas de conhecimento zero.  A inspiração para que Silvio concebesse a Algorand, foi o chamado Trilema da Blockchain, proposto em 2016 pelo criador da Ethereum, Vitalik Buterin.

Algorand Blockchain Trilema.

Esse Trilema basicamente diz que o problema central para o desenvolvimento da blockchain ideal é que, em geral, não se consegue obter as suas 3 características fundamentais: Descentralização, segurança e escalabilidade, pois o aumento em uma área acaba levando a redução em outra, o que força os desenvolvedores a escolher apenas 2 das 3 características.

Usando a própria Ethereum como exemplo, temos uma boa idéia de como esse problema opera. A Ethereum é hoje uma blockchain altamente descentralizada e segura, porém pouco escalável, já que vive congestionada e possui altíssimas taxas mesmo para a realização de operações simples na rede. Reduzir a descentralização, diminuindo o número de nodes, poderia ser uma solução para torná-la mais escalável, mas qual o sentido disso se a blockchain gira justamente em torno da descentralização? Além disso, reduzi-la também significaria reduzir sua segurança.

A Ethereum esta tentando resolver isso com o lançamento da Ethereum 2.0, que entre outras alterações, irá migrar o sistema atual de proof-of-work – na qual todos os nodes devem validar todas as transações – para um sistema misto que envolva o proof-of-work junto com o proof-of-stake, no qual apenas um validador por vez – eleito pelos usuários que fazem staking na rede ou por ele próprio fazer staking em um volume alto – valida as transações dentro de uma determinada faixa de tempo, e múltiplas transações podem ser validadas em paralelo. Nesse caso, a seguranças esta no alinhamento do interesse do validador com o interesse da rede, já que má conduta pode ser punida inclusive com confisco das criptomoedas em staking.

Silvio Micali Algorand
Silvio Micali, fundador da Algorand

Note que, apesar de mais escalável, o proof-of-stake não é tão seguro quanto o proof-of-work, o que de certa forma nos faz apenas voltar ao trilema original. Por isso mesmo, Silvio Micaeli sempre criticou ambas as abordagens. Vamos ver agora mais a fundo como a Algorand Funciona.

 

Algorand e sua criptomoeda ALGO: Como funciona?

 

A Algorand é uma plataforma Defi, que possibilita Smart Contracts, assim como a Ethereum, Ada, Avax e muitas outras. Diferentemente dessas, entretanto, a Algorand utiliza um mecanismo de consenso chamado de Pure proof-of-stake, que consiste em dois tipos de nodes: Nodes participantes e os Relay Nodes. Os Nodes participantes, adivinha só, participam na formação do consenso e validação das transações, enquanto os Relay nodes atuam para facilitar a comunicação entre os nodes participantes.

Nesse mecanismo de consenso, mil nodes participantes são selecionados para produzir um bloco. Após, um desses mil nodes também é selecionado para adicionar o seu bloco a blockchain do Algorand. Em ambos os casos, as chances de ser selecionado é diretamente proporcional a quantidade de Algo em staking na rede por aquele participante.  Todo o processo de seleção e atualização dos dados da blockchain é gerenciado pelos Relay Nodes.

Esse modelo permite que mesmo alguém com um pc comum ou mesmo um smartphone consiga ser um validador participante na rede da Algorand, gerando uma possibilidade de descentralização ainda maior. Além disso, a velocidade de validação da rede tende a ser bem acima da média, com transações que, atualmente, são validadas de modo quase instantâneo, e com uma capacidade de validação de mil transações por segundo para a rede como um todo.

 

Algorand (ALGO): Vale a pena?

 

O token ALGO tem uma oferta total de 10 bilhões, sendo que apenas 25 milhões desse total foram vendidos por meio do ICO da Algorand em junho de 2019, a um preço de 2.40 dólares por token. Logo após o lançamento do token, investidores privados que haviam comprado ALGO antes a um preço muito menor descarregaram seus tokens no mercado, realizando um grande lucro e, claro, demolindo o preço do token no processo.

A reação dos investidores comuns, que participaram do ICO, foi quase imediata, o que forçou a Algorand a oferecer duas oportunidades de recompra no segundo semestre de 2019, por meio do qual a própria empresa compraria de volta os tokens dos investidores por um preço quase 4 vezes maior do que a cotação do mercado naquele momento, que estava bem abaixo dos 2.40 dólares. Com isso, a quase totalidade dos 25 milhões de tokens iniciais foram resgatados.

Apesar desse episódio lamentável, a Algo demonstrou estar disposta a fazer concessões para não prejudicar seus investidores comuns, o que é um excelente sinal, ainda mais em um mercado como o de criptomoedas, onde esquemas fraudulentos e empresas que somem do mapa após vender tokens por milhões são mais comuns do que gostaríamos.

A cada mês, 20 milhões de novos tokens ALGO são distribuídos como recompensa para os nodes participantes da rede e 55% da oferta total de Algo (10 bilhões) já esta em circulação.

A Algorand também possui um impressionante leque de parcerias, tanto com empresas privadas quanto com universidades de ponta, como a Universidade de Berkley na Califórnia. Além disso, tendo sido fundada por um acadêmico respeitável e tendo um excelente time técnico, é de se esperar que essa criptomoeda consiga oferecer uma tecnologia acima da média e resolver os principais problemas da blockchain até o momento.

Algorand vale a pena?
Parceiros comerciais da Algorand

Entretanto, a curto prazo, isso parece não ter tido um impacto muito significativo no preço, já que a Algo obteve um aumento de apenas 3x durante o ano, algo relativamente pequeno em relação ao restante do mercado.

Uma das explicações para isso é que a própria Algorand Foundation, responsável pelo projeto, vende seus tokens rotineiramente para poder custear a continuação e expansão do projeto. Para isso, a fundação segue algumas regras, como nunca vender mais do que 5% do volume diário de negociação de ALGO de uma só vez, apenas vender a preços acima da média de mercado e parar por completo a venda caso o preço de ALGO caia acima de 10% em um único dia. Todas essas regras visam evitar o efeito de vendas grandes sobre o preço do token, porém, o efeito não é completamente eliminado já que sempre que o preço do token sobe a fundação vende um pouco mais de ALGO, o que acaba ocasionando uma certa estagnação na subida devido a essa pressão vendedora.

Alem disso, também não há muita demanda por ALGO de modo a compensar esse efeito, já que a quantidade mínima para staking é de apenas 1 token ALGO e a recompensa é de 5.5% anualmente, menos do que muitos outros projetos que envolvem staking.

 

Algorand e as CBDC

 

Não é surpresa para ninguém que acompanha o mercado de criptomoedas, ou mesmo apenas acompanha o noticiário econômico, que os governos ao redor do mundo estão começando a implementar esforços para criar suas próprias moedas digitais, conhecidas como CBDC (Central Bank Digital Currency, ou moeda digital do Banco Central).

Ocorre que, como esses governos rapidamente perceberam, criar uma moeda digital segura e funcional não é tão simples quanto parece e, assim, tiveram que se aproximar de empresas de criptomoedas para aprender o caminho certo, já que, é nessas empresas que se concentram os grandes talentos da criptografia e da computação e são elas que tem o conhecimento prático de como operacionalizar uma moeda digital.

Assim, várias dessas empresas acabaram sendo cotadas para a tarefa de auxiliar governos no desenvolvimento do seu CBDC e, entre elas, a Algorand é a que esta mais próxima de conseguir um projeto funcional de CBDC. Embora a Stellar também tenha um projeto nesse sentido que esta bem avançado, é um fato que a Algorand é mais rápida e mais estável do que a Stellar, atingindo a marca de mil transações por segundo.

É claro que o possível anúncio da primeira CBDC desenvolvida no mundo, com auxílio do time da Algorand seria uma excelente notícia para o seu token ALGO, que poderia finalmente gerar o nível de demanda necessário para compensar a venda constante dessa criptomoeda pela Algorand.

 

Algorand: Preço

Após de atingir o pico de 1.60 dólares, ou quase 9 reais à época, a ALGO esta atualmente cotada a 4.66 reais, o que reflete a tendência de queda geral dessa cripto ja explicada anteriormente.

Algorand preço

Apesar de ser um projeto com um excelente corpo técnico e grande potencial de longo prazo, A Algorand ainda parece estar tendo dificuldades para deslanchar de vez em termos de adoção. Além dos fatos já explicados, talvez um outro importante seja exatamente por ter um time com perfil tão técnico, a Algorand acabe não dando muita importância ao lado do marketing e da atração de novos usuários e acaba sendo ofuscada por projetos maiores, que já possuem bem mais tração, como as já citadas Ethereum e Ada. Portanto, se você pretende investir em ALGO, esteja preparado para o longo prazo, já que uma adoção puramente orgânica, baseada na utilidade da tecnologia, sempre levará bem mais tempo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *